Entrevista com o escritor Átila Siqueira

Olá queridos leitores! Estou trazendo para vocês entrevista com o escritor Átila Siqueira.Ele criou a Saga Vale dos Elfos, que é repleta de muita imaginação, mistérios e aventuras. O autor gravou um vídeo especialmente para vocês, tenho certeza que irão adorar. Obrigada Átila, pelo carinho e atenção. Vamos conferir como ficou a entrevista? 





Jornalismo na Alma-Como surgiu o desejo de lançar um livro?
Átila Siqueira-Bom, o desejo de lançar um livro veio a partir do momento em que eu comecei a escrever de uma maneira mais séria, pois eu queria que aquilo que eu estava escrevendo pudesse ser lido e que eu pudesse ter a oportunidade de expor minhas ideias para as pessoas. O meu sonho é me tornar um intelectual de peso (desejo nada modesto, eu sei) e tenho trabalhado muito para isso, não somente escrevendo os meus livros, mas buscando formação, através de leitura e da vida acadêmica, na área de história. Então foi assim que surgiu a minha vontade de lançar livros, a partir da vontade de escrever e poder compartilhar o que eu escrevo e penso com as demais pessoas e, ao mesmo tempo, de crescer intelectualmente.


Jornalismo na Alma-A saga Vale dos Elfos foi inspirada em algum personagem, lembrança ou história?
Átila Siqueira-Eu me inspirei em tantas coisas que não é nem possível citar tudo. A minha primeira influência e inspiração é a Ilíada, de Homero, que foi meu livro de cabeceira por muitos anos. Porém, a literatura de aventura e de capa e espada também me influenciaram muito, como Dom Quixote, Os Três Mosqueteiros, bem como uma literatura mais existencialista e engajada, como as obras poéticas de Pablo Neruda e a literatura de Hernest Hemingway, Herman Hessen, Josten Gaarder.
Eu também não posso deixar de falar da influência de obras como a de Tolkien e a de livros épicos, como As aventuras de Gilgamesh e Beowlf, bem como de filmes, séries de TV, como a série Sobrenatural, músicas, quadros, jogos e a própria vida, que sempre é uma inspiração para a escrita.

Jornalismo na Alma-Qual a maior dificuldade que enfrentou para publicar seus livros? Como você enfrentou essa situação?
Átila Siqueira-A maior dificuldade foi a falta de oportunidades e a dificuldade para divulgar o trabalho. Eu ainda enfrento essa situação, na verdade, porque como a maioria dos escritores brasileiros, eu também estou à margem das grandes editoras, que muito raramente apostam em autores em início de carreira e preferem editar livros internacionais já famosos. Mas eu tenho enfrentado isso com muito trabalho e esforço, buscando lançar livros, mesmo contra as adversidades e divulgando através das redes sociais, blogs e das amizades que vamos fazendo no meio intelectual e artístico.

Jornalismo na Alma-Como sente-se com a receptividade das pessoas que leram A saga?
Átila Siqueira-As receptividades tem sido as mais diversas, embora nos últimos tempos eu tenha recebido mais críticas positivas do que críticas negativas.As pessoas reclamam às vezes da quantidade exorbitante de personagens que existem em meus livros, das descrições muito minuciosas sobre personagens e locais, além de diálogos extensos demais e também pelo excesso de violência.
O mais engraçado de tudo é que tem pessoas que elogiam exatamente esses pontos. Então, no meu ponto de vista, a coisa toda se refere ao gosto de cada pessoa e ao fato das pessoas entenderem ou não a proposta de literatura que eu venho criando.A minha proposta sempre foi produzir uma literatura mais densa, que faça as pessoas pensarem e que ao mesmo tempo tenha bastante detalhes. Por outro lado, eu vejo que as pessoas estão muito acostumadas a lerem autores que às vezes produzem algo muito simples e que entregam a informação já “mastigada” para o leitor (daí talvez o sucesso de autores como Paulo Coelho, por exemplo, que no geral produz uma literatura bastante mastigada para o leitor), o que então gera um certo estranhamento quando esses leitores se deparam com muitos personagens, com diálogos mais densos e complexos e com descrições mais densas, além de um grau de violência mais realista e mais brutalizado.

Jornalismo na Alma-Quais os principais personagens da história e o que eles significam para você?
Átila Siqueira-Bom, como eu já disse, meu livro tem uma grande quantidade de personagens. Além disso, eu não trabalho com a idéia de um personagem principal, porque acho que ninguém é principal no mundo, todos somos pessoas convivendo. Então, a minha história não é sobre uma pessoa, mas sim,  sobre um mundo e sobre um contexto complexo em que as histórias individuais acontecem dentro de um macro cosmo, interagem com esse contexto maior e fazem parte dele, o modificando e se modificando em contato com as circunstâncias, encontrando outras histórias individuais e interagindo a todo o tempo. Mas eu posso citar alguns personagens que são talvez mais significativos por seus feitos e pela liderança que eles exercem dentro da história:

Rei Aqueu, um semi-Deus filho do Deus Odin; princesa Annicha, uma princesa élfica, filha do rei Oran e neta do grande rei Dain; príncipe Baldoc, um anão; Duque Lisandro, um elfo poderoso, que lutou em muitas guerras liderando os exércitos do Vale dos Elfos; príncipe Faramir, herdeiro do trono dos Homens Cavaleiros e grande estrategista militar (seu nome é em homenagem a Tolkien e a sua obra); Darcan, um semi-gigante e filho de um semi deus, de dois metros e cinqüenta de altura e quinhentos quilos, extremamente forte, que faz grande diferença nas lutas em que participa; Oberón, um caçador de criaturas das trevas famoso em todo o Mundo Conhecido, devido aos seus feitos lendários; Mago Cânon, um jovem mago que perambula pelas Terras Centrais ajudando os mais pobres e organizando a luta contra a opressão produzida pelas criaturas das trevas.
         Cada personagem significa muito para mim, pois eles representam idéias, princípios, personalidades, que em conjunto constroem a idéia que eu desejo transmitir em meus livros.


Jornalismo na Alma-Qual sua relação com os leitores?
Átila Siqueira-Bom, eu sempre procuro manter uma boa relação com os leitores e busco sempre estar acessível. Uma das coisas que eu jamais quero me tornar é um desses autores que tratam as pessoas com frieza ou que acham que têm que se manterem distantes.


Jornalismo na Alma-A saga completa será composta de quantos livros?
Átila Siqueira-A minha pretensão é que sejam apenas 4 livros, porém, existe a possibilidade de um 5° livro. Além disso, eu vou colocar algumas coisas desse universo grátis no meu blog, pois algumas partes, embora referenciadas nos livros, podem ficar de fora e serem oferecidas ao público, até mesmo como uma forma de propaganda da saga. Inclusive, uma das partes da saga saiu recentemente em um e-book, e quem quiser ler um pouco do que eu escrevo pode acessar e baixar gratuitamente a antologia, que tem a participação de inúmeros autores nacionais: http://editoraonlinecorujito.blogspot.com/2011/10/ultima-parada-sessao-terror-lancamento.html

Jornalismo na Alma-Qual sua maior inspiração quando está escrevendo? Por quê?
Átila Siqueira-Acho que a noite é a minha maior inspiração, pelo clima calmo e introspectivo que ela oferece, embora eu escreva em outros horários também, mas com menor freqüência.



Jornalismo na Alma-Quantos livros você lê por ano?
Átila Siqueira-Eu leio por volta de 4 livros por mês, então deve dar mais ou menos 48 livros por ano.

Jornalismo na Alma-Qual seu autor preferido no Brasil? Por quê?
Átila Siqueira-Eu gosto muito do Álvares de Azevedo, por toda a força que a literatura dele tem, mas também poderia citar Machado de Assis. Na poesia, eu poderia citar Castro Alves, Cecília Meireles, Manoel Bandeira e Ferreira Gullar. Mas é difícil falar de um autor preferido. Gosto de leituras variadas, dependendo da ocasião.

Jornalismo na Alma-Qual seu autor estrangeiro preferido? Por quê?
Átila Siqueira-É uma pergunta difícil, mas eu diria que seria Pablo Neruda, embora Ernest Hemingway e Herman Hesse também sejam autores que eu também gosto muito. Mas eu digo que é Pablo Neruda, pois sua poesia é forte, densa e engajada politicamente, com um tom crítico. Ele faz literatura de uma forma que eu também quero fazer.



Jornalismo na Alma-O que você acha do incentivo da arte e cultura no Brasil?
Átila Siqueira-Acho que é muito pouco o incentivo, porém, depois da subida do presidente Lula a presidência da república, o incentivo cresceu de uma forma quase inacreditável, talvez fruto do próprio incentivo do governo a educação e ao ensino superior. Mas seja como for, depois da subida do presidente Lula ao poder, a cultura tem ganhado grandes incentivos, a produção de livros no país aumentou muito e, uma das coisas que também somou muito foi o fato de terem cortado os impostos sobre os livros nacionais que havia sido imposto pelo presidente anterior.Enfim, ainda acho que o incentivo precisa aumentar e muito, mas não posso negar que as coisas andam melhorando.

Jornalismo na Alma-Qual a dica que você daria para futuros escritores?
Átila Siqueira-Escrevam, escrevam com coragem e sem medo de escrever. Daí em diante é trabalho duro. E também aproveito para dar um conselho: Depois que vocês crescerem na profissão, que fizerem sucesso com os seus livros, não se tornem pessoas arrogantes.

Jornalismo na Alma-Para encerrar gostaria de fazer um bate e volta com você.
Átila Siqueira-

Uma pessoa: Karl Marx.
Um desejo: Um mundo socialista.
Um livro: As Uvas e o vento.
Uma música: Hasta siempre Comandante Che Guevara.
Uma comida: Macarronada.
Uma bebida: Chimarrão.
Uma frase:
"O que há no mundo basta para satisfazer às necessidades de todos, mas não à cobiça de alguns". (Mahatma Gandhi).
Animal de estimação: Ainda não tenho, mas sou apaixonado por cães de raça grande e vou comprar um rottweiler em breve.
Filhos: Não quero, acho que o mundo já está muito cheio.
Dinheiro: Um entrave nas nossas vidas.
Felicidade: Francamente é uma grande mentira.
Fama: Acho que isso só vale a pena se for para falar e fazer coisas boas e significativas.
Religião: No fim das contas “é o ópio do povo”, mas respeito algumas tradições religiosas que enfatizam a dignidade do ser humano e buscam uma maior humanização.
Blogueiros: São seres humanos como todos, há os bem intencionados e os mal intencionados.
Falsidade: Estados Unidos e Estado de Israel.
(Átila Siqueira)

Contato:
atilasiqueira.blogspot.com 
sagavaledoselfos.blogspot.com

5 comentários:

  1. Seguindo tbm, Flor!
    Obrigada pelo convite!!!
    Yasmyn*
    http://laybdg.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. O livro parece ser muito bom!
    A entrevista foi ótima. As perguntas foram muito bem elaboradas. Saber um pouco sobre esse processo ajuda os novos escritores que querem tentar um espaço no mundo literário xD

    muito bom!
    grande abraço!

    Pedro Almada
    @Pedro_Almada
    http://inspirados-oandarilhodotempo.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Obrigada pela visita!
    Percebi ali em algumas perguntas que ele citou a falta de oportunidade de divulgar o livro, infelizmente, hoje as pessoas não são mais tão fiéis a livros, e sim a orkut, facebook, e pra divulgar em muitas vezes besteiras!
    Espero que ele nunca desista e continue publicando e divulgando!
    Bjos

    www.nudemaniaon.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Adorei seu blog, muito interessante.
    Passa lá no meu, vou adorar sua visita (: Obrigada desde já, beijo ;*

    http://mylittlerworldq.blogspot.com/

    Babi

    ResponderExcluir
  5. O livro parece ser muito bom *-*
    http://livrodagarota.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.