Entrevista com a escritora Laísa.C



Lagoena
 

Olá meus leitores! Estou trazendo para vocês entrevista com a escritora Laísa.C, uma das mais novas parceiras do Jornalismo na Alma. Ela é autora da sagra Lagoena. Tenho certeza que vão amar! Vamos conferir como ficou a entrevista?




Jornalismo na Alma-Como surgiu o desejo de lançar um livro?
 Laísa.C-Nunca imaginei que um dia poderia alimentar o desejo de escrever, principalmente livros. Eu era boa com as palavras nos tempos de escola, sempre me destacava nas redações, mas nem me passava pela mente até onde isso poderia me influenciar. Escrever era um ato esporádico e obrigatório. Meu pai percebendo que eu levava “jeito para a coisa” enquanto corrigia os erros dos pequenos textos escolares, me incentivava a escrever um livro. E eu fazia cara feia, abominava a ideia, pensava no escritor como aquele cara intelectual de meia idade cheirando a naftalina, me enganei...(Risos)

Comecei a escrever sem propósito algum um romance qualquer sem pé nem cabeça, até quando coloquei o pé no chão e resolvi fazer literatura fantástica, não foi questão de “tendência”, eu estava bem fora disso, e meu gosto pessoal pendia mais para o gênero do suspense. A Literatura Fantástica foi uma surpresa maravilhosa, descobri meu estilo literário no gênero e acreditei que poderia escrever um bom livro.

Jornalismo na Alma-Como você configurou os personagens do livro? 
 Laísa.C- Rheita, a protagonista, seu velho avô joalheiro Gornef e o vilão Zhetafar foram as primeiras personagens que “surgiram” na mente, e a partir delas comecei a projetar a premissa da estória. Primeiramente Rheita se desenvolveria na trama chegando à adolescência, mas resolvi deixar ela com seus 10 anos, a idade seria um contraponto interessante para “armar” o enredo, visto que ela é capaz de tomar decisões e fazer coisas que qualquer outra menina da sua idade dificilmente faria.

Para dosar a ausência da falecida mãe e do pai desaparecido, criei a amorosa Dona Adeliz, uma doceira, que acompanha Rheita desde bebê e é confidente do segredo escondido na palma da mão da menina.  A função da doceira assemelha-se a uma mãe, mesmo ela nunca ter pretendido substituir esse papel.

Kiel é o novo e único amigo de Rheita. Tem 11 anos, é filho de um sapateiro e é gago. No começo, ele tinha pouca importância na trama, era quase um peso morto. Mas com o passar do tempo, enquanto reescrevia o livro, essa personagem foi me surpreendendo e percebi quão crucial era a influencia do garoto na estória.

Essas personagens que citei acima são as principais. Há inúmeras outras personagens em Lagoena, vou deixar que o leitor descubra cada uma delas...

Jornalismo na Alma-Por que resolveu criar uma saga?
 Laísa.C-Geralmente a ficção fantástica é recheada de aventuras oriunda da época medieval que misturada à ação, desafio e obstáculos que dão fôlego a este gênero literário. Conheci este tipo de saga lendo Tolkien e C.S.Lewis, eles me inspiraram a escrever Lagoena, principalmente Lewis, que nas Crônicas de Nárnia nos mostra a delicada passagem entre a realidade e a fantasia.
Mas Lagoena não trata somente de cultura nórdica, enquanto escrevia o livro permitir-me passear por diversas culturas, nossas lendas brasileiras também tem forte influencia na trama, além de contos bíblicos, mitologia grega e egípcia.

Jornalismo na Alma-Quanto tempo levou para escrever o primeiro livro?
 Laísa.C-Escrevi o primeiro livro durante 5 anos. Foi um trajeto longo e custoso. Todo autor se desgasta no meio do caminho, perde a paciência e confiança. Comecei em 2005, aos 18 anos e terminei em 2010. Reli, li, reescrevi, cortei, recriei, rasguei inúmeras vezes, perdi as contas de quanto. Nesse tempo pude desenvolver um estilo literário, naveguei pelas poesias e contos, além de planejar mais 2 livros para Lagoena, o que se completaria numa trilogia, mas estes estão apenas em projeto.

Jornalismo na Alma-Como surgiu a escolha do nome do livro?
 Laísa.C-Tive vários títulos provisórios antes de chegar numa definição. Depois de tentar criar um nome para a terra fictícia do livro, resolvi procurar por algo cujo significado fosse um tanto obvio para nossa língua. Optei pelo latim por ser nossa língua mãe, fiz algumas pesquisas para procurando a tradução de terra. Achei alguns sinônimos, um deles era “lagoena”, que por causa do prefixo tem o valor de porção, uma faixa de terra, mas seu significado mais comum é garrafa, dependendo o uso da palavra o sentido pode mudar, mas esses dois sentidos se encaixam bem na estória. O título original do livro é Lagoena, A Terra Secreta - A Pequena Guardiã, e quando a obra foi aprovada no BookSérie, sugeriram que usasse apenas Lagoena, para melhor divulgação.


Jornalismo na Alma-Sobre qual tema escreveria um outro livro?
 Laísa.C-Escreveria algo que envolvesse muito suspense, gosto de romance policial.

Jornalismo na Alma-Como funciona o método pelo qual você publicou a saga?
 Laísa.C- Lá no BookSérie o livro foi dividido em duas temporadas e os capítulos se tornaram episódio. A primeira temporada se intitula A Terra Secreta, estreou dia 4 de outubro de 2011, a segunda e última temporada, A Pequena Guardiã, estreou dia 7 de fevereiro de 2012. Todas as terças o site lança um novo episódio. A leitura é gratuita e online, basta  o leitor se cadastrar no site, lá tem outras série que poderão acompanhar: Heróis Meninos, O Segredos dos Girassóis e uma nova estréia, cujo título e autor ainda desconheço.

(Clique na Imagem para conhecer Lagoena e O Book Série)


Jornalismo na Alma-Com sente-se com a receptividade das pessoas que leram as obras?
Laísa.C- A receptividade foi uma surpresa. Antes mesmo da publicação de Lagoena pelo site, fiz uma pré-divulgação pelo Skoob, as pessoas retornavam querendo comprar o livro impresso, me cobravam uma publicação tradicional, nessa época até conheci uma representante editorial que se interessou pela obra, mas eu não poderia abandonar o BookSérie, tínhamos um acordo a zelar. Claro que estou ansiosa para publicar Lagoena por uma editora, já tive propostas, mas tenho de ter paciência e esperar uma melhor oportunidade. As leitores do BookSérie tem acompanhado a cada semana o lançamento dos episódios, tem quem reclame para mim que chega ser uma tortura esperar, que o site deveria ceder mais algumas horas diárias, enfim, estão roendo as unhas. É bom saber que Lagoena traz expectativas ao leitor, eles dão apoio e divulgam para seus amigos e familiares. Uma vez, uma mãe veio-me dizer pelo Facebook que sua filha estava adorando ler o livro. Sei de pessoas que esperam o livro ser publicado tradicionalmente para ler, por não se habituar em leituras online.

Jornalismo na Alma-Qual livro daria de presente para um inimigo?
 Laísa.C- A Bíblia.

Jornalismo na Alma-Qual a dica que você daria para futuros escritores?
Laísa.C- Se eu disser sentem-se e escrevem tudo que lhe vir a mente, estaria mentindo.  Escrever requer técnicas, quem almeja ser um bom autor, tem de estudar muito para isso, ler é mais do que necessário, não existe escritor sem leitura. É bom que antes de colocar as idéias no papel o autor já defina o tipo de estória que irá contar e qual será seu público alvo, parece papo de markenting, o que não deixa de ser, o escritor do século 21 não pode estar alheio ao mercado e as editoras exigem isso.

Não tenha medo de errar, reescreva, melhore sempre. Faça oficinas literárias. Leia livros sobre teorias da literatura. Inspire-se em seus autores preferidos, mas não copiem suas idéias. Sejam criativos, o mercado editorial quer isso, criatividade, principalmente para quem escreve ficção fantástica.

Organize-se. Faça um planejamento das personagens, cenas, capítulos, crie uma meta.  A disciplina é necessária, principalmente por ser o autor seu próprio chefe, depois será o editor e o mercado.

O que eu disse não é uma regra, acho que cada um encontra seu melhor jeito de escrever. O mais importante disso tudo é não esquecer o coração.


Jornalismo na Alma-Para encerrar gostaria de fazer um bate e volta com você.
 Laísa.C-  
Uma pessoa: Meu pai
Um desejo: Só pode um?
Um livro: A Descoberta do Mundo – Clarice Lispector
Uma música: The Moment I Said It – Imogen Heap
Uma comida: Arroz e feijão
Uma bebida: Leite achocolatado
Uma frase: Escrever é uma maldição – Clarice Lispector
Animal de estimação: O cachorro daqui de casa.
Filhos: Não tenho.
Dinheiro: Gostaria de ter.
Felicidade: Apenas momentos fugazes.
Fama: Ilusão.
Religião: O homem a inventou.
Blogueiros: Aliados.
Falsidade: Abomino.
( Laísa C.)

Espero que tenham curtido. Eu ameii demais! Bom, quem quiser conhecer mais sobre a autora e obra Clique AQUI!

10 comentários:

  1. nossa que legal, é bom saber mais sobre essa autora eu queroo um livro que ela escreveeu heheh (:

    Garoto Nerd

    ResponderExcluir
  2. Amei a entrevista, principalmente o bate e volta. Gostei das resposas dela.
    Bjs
    Pamela Chris

    www.pamelachris.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. "Escrever requer técnicas"
    Ufa! Até que enfim alguém concorda comigo rsrs.

    "Qual livro daria de presente para um inimigo?
    Laísa.C- A Bíblia."
    Essa resposta ficou bem dúbia rsrs. Eu não entendi se ela daria a Bíblia para torturar seu inimigo (foi o que interpretei de cara) ou para fazê-lo mudar interiormente.

    Parabéns à entrevistadora e à entrevistada.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  4. Eu amo as suas entrevistas! Parabéns flor amei o post! Mil Beijos!
    http://pensamentosdeumageminiana.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Adorei a entrevista *--*

    http://colorful-mushrooms.blogspot.com.br

    Beijoos ;*

    ResponderExcluir
  6. Hey
    adorei a entrevista
    Nossa 5 anos para o processo do livro, muito trabalhoso.
    Não me magino com uma responsabilidade dessas.

    Desejo todo sucesso do mundo para a autora!

    beijos e uma ótima terça pra você
    Nana - Obsession Valley

    ResponderExcluir
  7. Se ela escrevesse um romance policial, com certeza eu leria!
    Os capítulos que li de Lagoena fizeram com que eu gostasse muito da autora.

    Um beijo,
    Luara - Estante Vertical

    ResponderExcluir
  8. Ué! Cadê o meu comentário??? Foi censurado? 8/

    ResponderExcluir
  9. Oi Pamola!

    Muito obrigada pelo apoio, foi muito divertido responder a entrevista. Agradeço a todos leitores do blog Jornalismo na Alma por acompanhar a leitura!

    Laísa C.
    confissoesdesajustadas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Oi Paloma,

    Obrigada pelo apoio! Foi muito divertido responder suas perguntas. Agradeço aos leitores do Jornalismo na Alma pela leitura!

    Laísa C.
    confissoesdesajustadas.blogspot.com

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.