Entrevista com escritora Priscila Boltão

Olá meus leitores!O Jornalismo na Alma traz entrevista com a autora Priscila Boltão, uma velha amiga blogueira que agora lançou o primeiro livro... Disturbia! Fiquei muito feliz em saber que a literatura nacional ganhou mais um escritora e desejo muito sucesso para ela. Abaixo vocês podem conferir um pouco mais sobre a escritora e também o livro.Vamos conferir?



Sobre o livro
Todo mundo algum dia já sentiu um medo que não sabia explicar. Uma sensação de ser observado. De não estar sozinho. De que há algo na escuridão do quarto. Geralmente, quando acendemos as luzes, a paranoia dá lugar ao desejo de rir de si mesmo e aquela sensação se torna apenas uma lembrança incômoda.
Mas o que você faria se, ao acender das luzes, descobrisse que sua paranoia é justificada? Congelaria de medo? Correria?
É isso que os personagens dos contos neste livro estão prestes a descobrir.

Ficha Técnica
Número de páginas: 83 
Edição: 1(2013) 
Formato: A5 148x210 
Coloração: Preto e branco 
Acabamento: Brochura c/ orelha 
Tipo de papel: Offset 75g

Obs.: Comprando o livro com a autora o frete é gratuito e ainda ganha autógrafo!

Entrevista


Jornalismo na Alma-Como surgiu o desejo de lançar um livro?
Priscila Boltão-É engraçado pensar, mas nunca soube muito bem. Desde pequena eu escrevia aos montes, e ao longo dos anos joguei muita coisa fora, mas de uns anos pra cá percebi que era o que eu queria fazer da vida. Alguém me disse aquela frase “Encontre algo que ama fazer e não terá que trabalhar um só dia” e eu pensei: “o que eu amo?” E literatura era a resposta óbvia. Uns anos atrás, comecei um blog pra publicar o que escrevia (deletei em um ataque de raiva, fazer o que) mas fiquei muito feliz com o retorno e pensei “bom, talvez eu tenha jeito pra coisa”.


Jornalismo na Alma-Por que escolheu a editora clube de autores?
Priscila Boltão-Olha, vou mentir não: porque era grátis. Cheguei a pesquisar algumas editoras, mas percebi que muitas não levariam em consideração um livro tão pequeno. E minha condição financeira não ia me permitir lançar um livro por uma editora independente tão cedo. O CA acabou sendo a melhor opção. Eu penso nesse livro como um test drive, pra ver se realmente essa idéia maluca que tenho de viver de escrever vai em frente.

Jornalismo na Alma-O livro é sobre contos de terror ou suspense?
Priscila Boltão-O livro está naquela linha entre o terror e o suspense. Alguns contos lidam com o sobrenatural, outros são mais sobre a natureza humana (e às vezes, ambos). Eles se concentram mais na sensação de medo e desconforto do que em um gênero específico.


Jornalismo na Alma-As personagens de cada conto constituem histórias diferentes ou se interligam de alguma maneira?
Priscila Boltão-Todas independentes. Na verdade eu só fiz uma coletânea onde juntei contos que fui escrevendo ao longo do tempo. Dois deles foram escritos há muitos anos, o mais recente não tem nem seis meses.

Jornalismo na Alma-Quanto tempo levou para escrever Disturbia?
Priscila Boltão-Do momento em que decidi juntar os contos no livro, não muito – em torno de três ou quatro meses.

Jornalismo na Alma-Como surgiu a escolha do nome do livro?
Priscila Boltão-Da Rihanna. BRINKS. Pra começo de conversa, sou formada em inglês e tenho essa mania de misturar com português. Eu não conseguia pensar em um título em português que não soasse clichê. Então tentei pensar no que os contos tinham em comum e, como eu disse, não são todos sobrenaturais ou de um gênero específico. Eu não posso nem dizer que todos tenham a intenção de causar medo, especificamente, mas todos tem a intenção de causar uma certa paranóia, um desconforto, a vontade de olhar por cima do ombro de vez em quanto. E a primeira palavra que associei com esse sentimento foi Disturbia.

Jornalismo na Alma-Você acha que as cartas perderam força depois da popularização do e-mail?
Priscila Boltão-Não, mas acho que mudaram de propósito. Antes escrever cartas era um dos únicos meios pra entrar em contato... hoje, pra comunicações corriqueiras, tem o email, mas as cartas ainda carregam um aspecto mais pessoal, mas íntimo.

Jornalismo na Alma-Você acha que as pessoas sabem lidar com seus medos interiores? Por quê?
Priscila Boltão-Não mesmo, haha. Acho que depende muito, mas a maioria das pessoas não reconhece bem os próprios medos. Hoje em dia se valoriza muito a perfeição inalcançável – todo mundo está o tempo todo tentando não sentir medo ou tristeza porque são sempre coisas associadas a fraquezas. Em vez de encarar os sentimentos ruins, aprendemos a tentar ignorá-los. Quando isso se torna impraticável, é um problema.

Jornalismo na Alma-O que fazer quando o medo foge do controle?
Priscila Boltão-Depende da situação. Se for um medo relacionado a barreiras psicológicas e inseguranças pessoais, ou se for algo relacionado a desafiar a sociedade e seus padrões (blablabla, filosofei) acho que vale a pena encarar e lutar. Se for algo bizarro e inexplicável como nos meus contos (coisas na linha de objetos inanimados atentando contra sua vida) meu único conselho é: CORRE.

Jornalismo na Alma-Se identifica diretamente com alguma personagem do seu livro? Qual? Por quê?
Priscila Boltão-No momento da escrita dos contos, eu me identificava muito com cada  protagonista. Acho que de todas, a Anellyese foi a mais descaradamente baseada em mim mesma. (Estranhamente, ela é a que mais me irrita)

Jornalismo na Alma-Sobre qual tema escreveria um outro livro?
Priscila Boltão-Ah, eu tenho um monte de projetos em andamento. A maioria das coisas é voltada pro terror e/ou sobrenatural, em um estilo young adult. Há também a idéia de um Disturbia II. Recentemente tive um romance aprovado para publicação, mas a editora me cobraria o preço dos meus dois pulmões no mercado negro, não rolou.

Jornalismo na Alma-Como sente-se com a receptividade das pessoas que leram a obra?
Priscila Boltão-Estou achando maravilhoso! Eu estava um pouco incerta a respeito do livro, mas todos os que leram tiveram a reação que eu esperava causar (geralmente, um nervosismo sobre ir ao banheiro a noite com as luzes da casa apagadas ou uma possível desconfiança de que as pessoas não são o que parecem)

Jornalismo na Alma-Como seria seu paraíso literário?
Priscila Boltão-Oush, boa pergunta. Acho que no meu mundo dos sonhos, seria infinitamente mais fácil e barato tanto pra publicar quanto para obter livros. Nesse meu mundo ideal, também, o dia teria umas 50 horas disponíveis para leitura....

Jornalismo na Alma-Diga um autor preferido no Brasil? Por quê?
Priscila Boltão-Hm, extremamente difícil de escolher entre Carolinha Munhóz e Raphael Draccon. Não sei exatamente o que esses dois fazem, talvez seja toda a paixão que eles demonstram pelo que fazem, mas são autores DIVOS que me fazem ficar acordada indefinidamente até terminar seus livros.

Jornalismo na Alma-Diga um autor estrangeiro preferido? Por quê?
Priscila Boltão-Rowling forever. Acho que o que ela fez é único, simplesmente. Também sou doida pelo John Green e pela Tahereh Mafi (a escrita dela é simplesmente fantástica).

Jornalismo na Alma-Qual a dica que você daria para futuros escritores?
Priscila Boltão-No dia que a Tahereh Mafi esteve na minha cidade, ela me deu o melhor conselho que eu poderia ouvir, e acho que é o mais importante: Vai ser difícil. Mas o que importa é perseverar. Se você realmente ama o que faz, a única coisa entre você e o sucesso é o tempo (palavras dela).

Jornalismo na Alma-Para encerrar gostaria de fazer um bate e volta com você.
Priscila Boltão-
Uma pessoa: Rowling again. Ela é meu modelo.
Um desejo: Poder viver de escrever.
Um livro: Se eu disser Harry Potter, é muito clichê? Pode ser Estilhaça-me então.
Uma música: Promises do The Cranberies. Nem sei por quê.
Uma comida: Lasanha
Uma bebida: Coca cola Zero (sim, eu realmente GOSTO mais da Zero)
Uma frase: Ih, caramba. É difícil porque tem tantas... mas vou de clichê: “São nossas escolhas que definem quem somos, muito mais que nossas habilidades
Animal de estimação: Não tenho. Queria um gato mas tenho medo que os vizinhos façam maldade
Filhos: Não pretendo tê-los.
Dinheiro: Necessário, infelizmente, mas supervalorizado. Hoje em dia acho que prezo mais pela minha paz de espírito do que pelas minhas horas extras.
Felicidade: Felicidade é poder realizar seus sonhos, ou pelo menos correr atrás disso.
Fama: Geralmente um sinal de que você fez seu trabalho bem feito – não necessariamente um indicador de talento, no entanto.
Religião: Não tenho, mas pessoalmente não sinto necessidade. Acho que cada um tem que acreditar naquilo que lhe faz bem contanto que não machuque os outros.
Blogueiros: Adoro a blogosfera, mas fico triste com aquele pessoal que se diz blogueiro só esperando algo em troca. Acho que o mais importante pra blogar devia ser o amor pelo que está fazendo e gostar de trocar opiniões.
Falsidade: Sou desconfiada PRA CARAMBA, então é difícil ser falso comigo.... não sei o que leva alguém a fazer isso, mas vai entender.

Sobre a autora
Priscila Boltão, nascida em 1988, é formada em Letras Inglês pela UFPR. Apaixonada por palavras desde que aprendeu a ler aos quatro anos, trabalha com tradução e revisão atualmente - mas sua verdadeira vocação é a literatura.

Contato

Blog:pribunnybooks.blogspot.com 
Twitter: @priboltao

È autor ou tem um blog e quer ser entrevistado pelo Jornalismo na Alma? Basta enviar um mensagem pela página Contato através do formulário. 

19 comentários:

  1. Ela tem bastante maturidade e simpatia, adorei a entrevista e dicas de leitura! beijos *-*

    ~ Blog e fanpages atualizados! Acesse, comente e compartilhe <3

    Blog: http://dezahoffmannmoda.blogspot.com.br/
    Fanpage: https://www.facebook.com/pages/Blog-Del%C3%ADrio-Fashion/579696718716385

    ResponderExcluir
  2. Amei a entrevista, estou super curiosa pra ler o livro.
    A capa é bem chamativa, adorei conhecer a autora.
    Eu estava meio sumida daqui né?
    Mas to voltando, e gostaria de te convidar a participar do primeiro book tour do livro "Memórias ficticias" e o primeiro organizado por mim.
    Gostaria que vc desse a sua opinião sobre o livro, pois a autora é minha parceira e isso ajudará na divulgação do seu livro.
    Vc aceita? Espero que sim.

    Meu email: thais_dejesus_03@hotmail.com
    http://luadesangue1.blogspot.com.br/2013/06/book-tour-livro-memorias-ficticias-da.html

    ResponderExcluir
  3. adorei a entrevista.
    Muito boa

    Beijinhos

    Visite o blog:
    http://www.euvejotudocorderosa.com/

    Curta a fanpage do blog
    http://www.facebook.com/EuVejoTudoCorDeRosa

    ResponderExcluir
  4. Meu sonho, conseguir escrever um livro, nem que nunca seja publicado, apenas para provar para eu mesma que sou capaz.
    Parabéns Priscila Boltão por ter conseguido e não desista nunca.
    Parabéns ao Blog pela ótima entrevista!

    Estandy Books - A Estante da Andy

    ResponderExcluir
  5. Uhuuu que legal essa entrevista adorei !!!

    Mas juro que não leio livros com contos de suspende e terror morro de medo kkkk


    Beijos e sucesso para a autora!


    Andressa
    http://livrosechocolatequente.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. adorei a entrevista!
    não conhecia essa escritora!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Oi amiga como vai!
    Passando para deixar um mega Beijão e pbrigada por sempre nos visitar amiga!
    Beijão


    °. *°* ° Luciane °. *°* °

    Blog Diferencial2000
    http://diferencial2000.blogspot.com.br
    http://www.candylandy.loja2.com.br
    http://docesinlove.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Não conhecia o livro e nem a editora, agora fiquei curiosa. Dona Paloma, pode parar que postar livros interessantes e que prendem a minha atenção? Não há dinheiro no mundo que vá pagar todos os boletos do cartão de crédito. hahah


    http://clicandolivros.blogspot.com.br/
    Beijos *-*

    ResponderExcluir
  9. Adorei a entrevista, agora quero ler esse livro, ai meu medo pelo escuro vai aumentar
    beijos

    ResponderExcluir
  10. N ossa que simpática, adorei a entrevista.

    http://iasmincruz.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Ainda não conhecia, adorei a entrevista!
    vestindo-ideias.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

  12. To passando rapidinho pra dizer que o blog está de volta, venha dar uma curiada e sinta-se a vontade para palpitar.

    Um ótimo restinho de semana pra ti.
    Beijo grande!!!

    Evelyn Oliveira
    cupcakerock.blogspot.com
    @evelyncmo

    ResponderExcluir
  13. Oi Paloma!

    Parece ser interessante esse livro!
    Ainda não tinha ouvido falar nessa autora...

    Beijos!

    ResponderExcluir
  14. Bah, o livro dela parece ser muito interessante *O* E a entrevista foi muito legal, a escritora é super simpática <3

    Beijos
    http://mon-autre.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  15. Adoro conhecer mais os autores, gostei bastante da personalidade da Priscila, apesar do gênero que ela escreve não ser o que normalmente gosto de ler.
    Beijo,
    Nic

    ResponderExcluir
  16. Oi Paloma!

    Que legal! Mais uma autora na praça... E deu uma bela entrevista!

    Abraços, Iris

    ResponderExcluir
  17. AMO contos e fiquei MUITO curiosa . o livro deve ser sensaiconal. adorei a entrevista

    Beijos!
    Nathália • Fashion Jacket
    www.fashionjacket.com.br

    ResponderExcluir
  18. Bom dia Paloma,

    Não conhecia a autora e nem o livro, não gostei da capa e o livro não faz muito o meu estilo, mas se começa assim e desejo sucesso para a autora...parabéns pela sua entrevista....abraços.


    http://devoradordeletras.blogspot.com.br/


    ResponderExcluir
  19. Bom dia,

    Adorei a autora e gostei do livro também.

    Bjus.

    José Agenor

    http://www.blogdojoseagenor.com.br/

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.