Resenha - Presságio, O assassinato da Freira Nua


A intensidade de um presságio
O que poderia fazer um leitor se viciar numa trama? O que poderia fazê-lo ler um livro e a cada linha passada ter mais vontade de continuar lendo? É algo que muitos escritores se perguntam, e tentam alcançar. Pois bem, Leonardo Barros descobriu, e fez de “Presságio – O assassinato da freira nua”, um livro realmente intenso.

Ler Presságio me trouxe experiências interessantes, mesmo não as tendo vividas. Eu pude sentir na minha pele, o que cada personagem sentia, tamanha era a perfeição das descrições da cena; Leonardo, com poucas palavras, fez descrições altamente realistas. Realmente, como eu já disse, Presságio é um livro que se define com essa palavra: “intenso”. Um suspense policial com grandes pitadas do sobrenatural, e com uma bela e extravagante dose de sexualidade.
Um crime: assassinato. Um suspeito, que parece ser óbvio. Porém, a única contradição é a visão de Alice, que vê um homem, completamente diferente do acusado, assassinando a Freira Nua, porém em um presságio que parece ser totalmente questionável.
Analisando o estilo de escrita de Leonardo Barros, e a estória “Presságio”, percebi muitas coisas. O escritor usa um estilo de narrativa e descrição no mínimo interessante. Ele é rápido nas descrições, porém é preciso, dando uma visão bem clara da cena, sem precisar está entrando em detalhes desnecessários. O narrador é em terceira pessoa, mas é como se fosse aquele narrador onipresente que víamos antigamente em livros da nossa literatura, um estilo bem dominado por Clarice Lispector, naquele tempo.
Outra coisa na estória que não pode ser deixada de lembrar é um recurso bem interessante, e até diria inovador, já que eu, particularmente, não costumo ver muito isso em livros desse tipo. As cenas, em certo ponto, acontecem ao mesmo tempo, como num filme. E quando você volta de uma cena para outra, você não tem muitas explicações, só nota o tempo que se passou quando você estava na outra cena. Isso é bem interessante, não sei se outros livros de suspense usam muito isso, já que leio pouco esse gênero.

A única coisa que pode ser considerado um ponto negativo por muitos, mas não por mim, é que o autor usa muitas palavras repetitivas, sempre voltando a usá-las para a explicação do diálogo. Isso pode, em certos casos, cansar o leitor. Por exemplo: a palavra “estacou”, ou “franziu o cenho”, são sempre usadas na hora que o narrador explica o diálogo. Não tive muito problema com isso, a não ser no início, pois depois, isso meio que se torna a marca do escritor e é como se fosse o estilo dele, uma assinatura dizendo: “eu que faço isso”.
Presságio é uma estória quente, cheia de mistérios e ação. Os diálogos são divertidos, e até emocionante em certos pontos. É como um filme brasileiro, onde sempre tem um pouquinho de sacanagem, e os diálogos são bem liberais, tendo os personagens a liberdade de falar o que quiserem.
O final ainda surpreendeu mais, apesar de que, pelo menos no final, eu consegui prever alguma coisa. Deixou-nos com um ar de que vem mais pela frente dessa estória. Esperarei ansioso por novas estórias desse escritor incrível, que me impressionou mais ainda do que eu esperava.

Escrito Por Jadson L Ribeiro, blog Senhor das Noites



DESIGN E DIAGRAMAÇÃO
Notas
Capa: 9.8
Diagramação: 7.5
Marcadores: 8.7
Design Total: 9.3
MÉDIA DO DESIGN TOTAL: 8.8 (BOM)

A capa é fabulosa, por isso dei uma nota tão alta. Além de ter texturas diferentes no título e nos outros nomes na capa. É uma capa impactante, o que é relevante nessa avaliação.
A diagramação deixou a desejar. Os capítulos mal tinham nomes, eram "capitulo um" ou "capitulo dois", e são muito mal organizados. Normalmente, nos livros se tem uma regra, que é que os capítulos sempre começam na página direita, ou no mesmo sentido, nesse livro os capítulos começavam na página seguinte, mesmo sendo no verso. Isso não me agradou. Além de não ter nem índice, que é de praxe colocar. A diagramação conta muito isso.
Os marcadores são bem legais, mas mal tinham o resumo atrás, o que também é de praxe. Atrás um branco tira a beleza da frente.
O designer total do livro não é de todo bom, a não ser a capa, que realmente ficou excelente. Porém não estou avaliando somente a capa, e tudo deve ser levado em conta.

Bem, até a próxima resenha pessoal. Aqui no Senhor Das Noites e no Jornalismo na Alma

Links Para O Livro:



14 comentários:

  1. Só esse subtítulo - O assassinato da freira nua - já me deixou super curiosa!

    http://naomemandeflores.com

    ResponderExcluir
  2. Novos Talentos da novo século né?!
    As capas que eles fazem costumam mesmo ser legais! Por dentro, varia! kk
    Ainda não conhecia esse livro, parece interessante. Talvez eu leia.

    Abs
    fantasiandocomoslivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Olá Paloma,

    O livro me atrai, pois gosto muito de suspense e de sobrenatural. Aliás, quase somente vejo filmes com estes temas.
    A resenha subscrita pelo Jadson está muito bem feita.
    Gostei também de sua análise/crítica.

    Minha lista de leitura está crescendo-rsrs.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  4. Nunca li mas parece ótimo! Adorei a resenha, ficou muito boa.
    www.espacegirl.com

    ResponderExcluir
  5. Ah parece interessante mas acho que nao faz o tipo que eu gosto de ler.
    beijos

    ♥ http://www.biancagsnunes.com/

    ResponderExcluir
  6. Nossa, adoro histórias de crimes e suspenses! O livro parece bom... Concordo que é ruim a repetição excessiva de palavras, mas que bom que não prejudicou a história!

    Bjs, Isabela.
    www.universodosleitores.com

    ResponderExcluir
  7. Oi Paloma vim conhecer teu cantinho e tb agradecer pela visita e comentário lá no meu blog.Seja sempre bem vinda por lá.E menina que lugar bacana esse seu.Amo livros e atualmente estou tentando ler em alemao,rsrsrsr...Complicadoooooo,rsrsrsrs...
    Bjs.

    ResponderExcluir
  8. Oi Paloma!

    Te desejo um ótimo final de semana, com muitas leituras e muito descanso, se isto é possível nos dias de hoje... Hehehe

    Abraços, Iris

    ResponderExcluir
  9. Esse livro deve ser muito interessante!
    Não curto muito esse tema, mas me parece ser bom.
    Resenha #117 - A Menina Que Semeava - É preciso noite para surgir o dia - Lou Aronica.
    Confere lá!
    Manuscrito de Cabeceira
    Bjs.

    ResponderExcluir
  10. Já ouvi bastante sobre esse livro em vário blogs e no Skoob,tem uma sinopse interessante e comentários de leitores positivos, acho que vou gostar.
    Abraços.
    http://alternativeyeah.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Oi, Jadson.

    Como vai, querido?
    Olha, não é meu estilo favorito de livro, mas gostei da sua empolgação. E eu sou do tipo que detesta palavras repetidas, acho entediante nos livros mesmo. Parabéns pela resenha!

    Beijos,

    Isie Fernandes - de Dai para Isie

    ResponderExcluir
  12. OLÁ
    Eu li Presságio e gostei muito do livro e da escrita do Leonardo.
    Parabéns pela resenha.
    Beijos

    Jéssica - Leitora Sempre
    http://www.leitorasempre.com/

    ResponderExcluir
  13. Oi Paloma, cara sua resenha foi muito instigante, e apesar desse não ser meu tipo de livro favorito, me peguei querendo ler.

    Beijos, http://porredelivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. A resenha ficou fenomenal, aguçou minha curiosidade e fiquei bem interessada nessa leitura dinâmica e forte.
    Livros de mistério e suspendem prendem minha atenção.

    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.