Resenha- Demônios não choram- Samuel Cardeal

O mundo em que conhecemos experimenta fases de inúmeras transições com as realidades paralelas que a percebem utilmente. Vivemos em um planeta próspero, onde as riquezas – econômicas e naturais conquistadas pela humanidade, através dos tempos – são distribuídas conforme a necessidade de seus constituintes. Experimentamos todos os momentos de crescimento e desenvolvimento de processos, mesmo que uma parcela considerável seja excluída disso, mas eles também fazem parte desses acontecimentos. A princípio, qual a motivação do falatório social e filosoficamente atribuído na resenha? Simples. Direto. Objetivo. Esse mundo imenso e tão suficiente entrará em conflito e em colapso total – o consumo desenfreado, progresso tecnológico e inconsciência humana serão vistos como agentes aniquiladores e pioneiros de uma Terceira Guerra Mundial.


O resultado dos conflitos diretos e sangrentos obviamente é o desaparecimento da população e a condição de destruição da Terra. O novo mundo – que acontece em 2148 – criado por Samuel Cardeal em seu livro de estréia Demônios não choram é digno de ser citado; construído com uma qualidade imaginária incrível, a fragilidade das poucas reservas humanas e naturais que restaram não foram suficientemente fortes para deter a ameaça dos seres das trevas, que passam a povoar e manipular os comportamentos. De certo modo, a presença dessas entidades é um argumento necessário e convincente para criar e espalhar, através do tempo, o medo, tensão e primitiva necessidade de segurança entre os sobreviventes. Visto sob a perspectiva do autor, os esconderijos secretos e, em grande maioria, imundos e desorganizados parece ser a sacada perfeita para despistar e bloquear o acesso do mal. E funciona, principalmente enquanto a história vai ganhando forma e contexto.

Para balancear essa equação de destruição, surge Ezequiel – um homem que tem a missão de exorcizar e dizimar demônios que afetam a normalidade e o sossego existente após esses eventos. Com uma personalidade destaca, o leitor é evidentemente forçado a colocar todas as suas expectativas de salvação em suas mãos e torce para que, em cada peregrinação contra os seres malignos, Ezequiel seja sempre bem sucedido. Torcemos para que Ezequiel, em todas as suas habilidades e armas impressionantes, desarme cada um dos inimigos e restaure a tranqüilidade dos dias. E à medida que os confrontos vão se destacando ao longo dos enredos, há um sentimento de que somos mergulhados nesse mesmo cenário – como um expectador que vibra, fica surpreso e sente-se a favor dele.

A construção dos personagens é bem caracterizada, os flashbacks para apresentar um pouco sobre o passado controverso, a ausência da figura familiar, o autodidatismo e o treinamento são bem empregados e, como não poderia ser muito diferente, a pesquisa histórica demonstra a preocupação do autor em revelar fatos convincentes. A linguagem e os recursos de texto caminham conforme os acontecimentos vão se sucedendo. A sua compreensão é bastante acessível, cria tensão e salta aos olhos do leitor, especialmente em momentos em que é iminente o início de uma batalha entre o herói da humanidade e os seres sombrios.  

No final das contas, Samuel Cardeal entrega um livro complexo, cinematográfico e com um ótimo ritmo. Sem sombra de dúvidas, é um romance que está muito acima da média do gênero e acrescenta elementos novos que fazem com que a sua leitura seja ao mesmo tempo surpreendente e indicada.  
Contato do autor: Site.
Resenha feita por:
Cláudio Quirino, pernambucano e escritor. Minha vida literária gira em torno dos projetos com as quais geralmente estou envolvido, como organizador de antologias e coletâneas e dos meus romances. Como amar em uma semana é seu primeiro romance publicado.
 

25 comentários:

  1. Só pelo título deve ser ótimo****
    adorei

    - Tem post novo no blog bora conferir ;)

    Beijoss *-*

    ==> Blog Resenhas da Pâm

    ResponderExcluir
  2. Oi Cláudio.

    Parabéns pela resenha o livro parece ser bom e de verdade espero ler e gostar. rs Porque não sei.......fico na dúvida. rs


    Beijos Fê
    http://fernandabizerra.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Obrigado, Paloma, pela oportunidade. E muito obrigado, Cláudio, pela sensacional resenha!

    ResponderExcluir
  4. Nossa, parece ser bem eletrizante esse livro hein!? rsrs
    Gostei da resenha ;)

    Bjinhos ;*
    Pâm

    ResponderExcluir
  5. Olá, Paloma simplesmente amei este seu cantinho, além de muito lindo e de boa navegação, também tem um ótimo conteúdo, Parabéns! Visitarei sempre! Super Beijos
    www.garotanotamaxima.com

    ResponderExcluir
  6. Oi adorei a resenha e a dica vou procurar esse livro para ler!!!
    Bjs, me segue se ja segue ignora e comenta por favor ajudaria muito.
    http://resenhasteen.blogspot.com.br/2013/11/o-guardiao.html

    ResponderExcluir
  7. Parece ser muito bom, nem parece que é o primeiro livro publicado dele!
    Excelente terça!
    Beijinhos ;*

    bycarolinaa.com
    facebok.com/meudiarioescondido

    ResponderExcluir
  8. Oi Paloma!

    Com certeza é mais um bom livro para a nossa Biblioteca! Boa leitura!

    Abraços, Iris

    ResponderExcluir
  9. Ainnn, não gostei nem do nome do livro!!!
    Bjs – Su - www.rosachiclets.com.br

    ResponderExcluir
  10. Adorei a resenha, apesar de não ser um tipo de livro que eu gostei muuito
    vestindo-ideias.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. Gostei muito resenha CLáudio, fiquei super a fim de ler, gostei da temática do livro
    um abraço!
    Pan
    http://pansmind.blogspot.com.br
    www.punkystore.com.br

    ResponderExcluir
  12. Acho que não faz muito meu tipo de livro, embora eu tenha me envolvido com sua resenha e com alguns detalhes da história, que é mesmo surpreendente...


    Beijos
    Brilho de Aluguel

    ResponderExcluir
  13. Nossa, nome do livro bem sugestivo, me deixou curiosa!

    ResponderExcluir
  14. Adorei a resenha.
    Fiquei entusiasmada para lê-lo.
    Adorei seu blog.
    Já curti e estou seguindo.
    Bjs!

    http://maximusunhas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Cinematográfico? Deve ser bem interessante!

    http://naomemandeflores.com

    ResponderExcluir
  16. WOW, que livro hein? Gosto de livros que retratam uma realidade futura... acho legal pensar no nosso futuro de diferentes formas. Parece interessante.

    Bjos! http://sugar-dance.org/blog

    ResponderExcluir
  17. Parece ser interessante esse livro, adorei a dica!
    Vim retribuir sua visita,seguindo aqui .
    Beijos!
    islary34.blogspot.com

    ResponderExcluir
  18. Eu adoraria gostar do gênero, sua resenha foi super perfeita, mas eu tenho dificuldade imensa com certos gêneros, temáticas e histórias ç_ç
    http://www.valeuapenaesperar.com/

    ResponderExcluir
  19. Olá como vai!
    Chegando feriadão e espero que seja um feriado cheio de muita paz amiga!!!
    Beijos!!!

    http://diferencial2000.blogspot.com.br
    Lojinha:candylandy.loja2.com.br
    http://docesinlove.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  20. Nossa que coincidência, também publiquei essa resenha no meu blog hehehehehe. Gostei muito do livro e concordo plenamente sobre o livro ser cinematográfico, enquanto lia ficava assistindo ele.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  21. Hum.. esse livro nao me chamou tanta atenção como esperava, quem sabe futuramente eu nao leia.


    xx

    ResponderExcluir
  22. Um realidade de colapso bem próxima, interessante!

    http://cheiadepapo.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  23. Gosto deste tipo de história, curti a resenha, achei bem legal a trama e o nome é bem genial! ;) beijos

    ResponderExcluir
  24. Paloma!
    Gosto de ficção e realidades paralelas me interessam muito porque creio que realmente existem, embora seja vista como ficção.
    A resenha ficou perfeita, muito boa mesmo, parabéns!

    Obrigada pela visita feita ao blog, é sempre uma grande alegria receber seu carinho e atenção. Obrigada!
    Desejo que seu final de semana seja carregadinho de sucesso e muitas realizações!
    cheirinhos
    Rudy
    Blog Alegria de Viver e Amar o que é Bom!
    " Não viva para que a sua presença seja notada,mas para que a sua falta seja sentida..."(Bob Marley)

    ResponderExcluir
  25. Paloma!
    Gosto do enredo sobre universos paralelos e ainda sem ficção futurista.
    Acredito que o autor acertou na medida do livro e deve ser uma leitura bem aprazível.

    cheirinhos
    Rudy
    Blog Alegria de Viver e Amar o que é Bom!
    " Não viva para que a sua presença seja notada,mas para que a sua falta seja sentida..."(Bob Marley)

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.