Resenha- A Invenção das Asas- Sue Monk Kidd

KIDD, Sue Monk. A invenção das asas/ Sue Monk Kidd; tradução Flávia Yacubian. - 1ª ed. - São Paulo: Paralela, 2014.
Em sua terceira obra, Sue Monk Kidd, cujo primeiro livro ficou por mais de cem semanas na lista de mais vendidos do New York Times, conta a história de duas mulheres do século XIX que enfrentam preconceitos da sociedade em busca da liberdade. Sue Monk Kidd apresenta uma obra-prima de esperança, ousadia e busca pela liberdade. Inspirado pela figura histórica de Sarah Grimke, o romance começa no 11º aniversário da menina, quando é presenteada com uma escrava: Hetty “Encrenca” Grimke, que tem apenas dez anos. Acompanhamos a jornada das duas ao longo dos 35 anos seguintes. Ambas desejam uma vida própria e juntas questionam as regras da sociedade em que vivem. *Cortesia: Editora Paralela.
Ficha Técnica 
Tradução: Flávia Yacubian
Capa: estúdio insólito
Páginas:328 pp.
Formato:16.00 x 23.00 cm
Peso:0.44500 kg
Lançamento:27/01/2014
ISBN:9788565530484
Preço Sugerido: 29,90
Book Trailer: AQUI

Notas 
Capa: 10/10
Conteúdo:10/10
Diagramação:08/10
Conceito Geral:100/100 


A Conquista da Liberdade
Por Paloma Viricio


Visão Geral
Houve um tempo na África, as pessoas podiam voar. A mamã me contou isso uma noite, quando eu tinha dez anos de idade. Ela disse: Encrenca, sua vovozinha viu com os próprios olhos. Disse que eles voavam sobre as árvores e montanhas. Disse que voavam que nem pássaros negros. Quando viemos pra cá, a magia ficou pra trás”, p. 09. A questão de liberdade sempre foi desafiadora para o ser humano. O que realmente é ser livre? Não viver atrás de grades ou acorrentado? Ter a opção de pensar ou agir da forma que desejar? A liberdade pode ser caracterizada por diversas questões, depende de ponto de vista ou como cada um a encara. Você considera-se uma pessoa realmente livre ou algo ainda mantém suas asas amarradas?

Sue Monk Kidd mesclou realidade com ficção de forma ímpar, criando um livro que contagia e atiça os sentimentos do leitor. O livro é narrado em primeira pessoa. Ora por Sarah Grimké, filha de uma família escravocrata da alta sociedade, ora por Hetty “Encrenca” Grimké, uma escrava quase da mesma idade de Sarah que foi entregue para ela ainda na juventude como criada e presente de aniversário. A história de Sarah é baseada em fatos reais, a autora pesquisou a vida dela e montou um enredo de ficção X realidade. Já encrenca é pura ficção, mas Sue Monk Kidd queria mostrar ao leitor as duas faces da escravidão, sentiu a necessidade de criar uma personagem que estivesse envolvida com o fato diretamente e que vivesse na pele tudo aquilo. Ela acertou em cheio na escolha, pois as duas personagens principais de A Invenção das Asas são muito contagiantes, o leitor torna-se uma espécie de confidente e amigo delas. O maior sonho de Sarah era ser advogada, mas para aquela época uma mulher exercer essa profissão era algo impossível. Encrenca desejava se livrar das garras da escravidão e não pertencer à outra pessoa como um objeto. A grande sacada para que o livro torne-se tão perfeito é que as duas figuras mescladas são totalmente diferentes, mas almejam algo em comum que é a liberdade. Uma precisa ter o corpo livre e a outra a mente. “Ela estava presa como eu, mas presa por sua mente, pela mente das pessoas em volta dela, não por lei. Na Igreja Africana, Sr. Vesey dizia: “Cuidado, você pode ser escravizado duas vezes, uma  vez pelo corpo e uma vez pela mente”, p.178.

AInvenção das Asas é um livro bastante agradável, a história nos faz voltar ao século XIX , refletir sobre os “N” problemas sociais ocorridos nesse período, questionamentos e lutas por mudanças. Em pleno século XXI sabemos que desigualdades ainda existem porque a herança de uma sociedade calculista e preconceituosa deixa marcas nas sucessoras. Entretanto ao ler A Invenção dasAsas vemos que mudar questões como racismo, escravidão e preconceito contra a figura feminina era demasiadamente mais difícil. Mesmo assim, existiram pessoas que lutaram contra essas amarras sociais, desafiando o tempo e o pensar da maioria. O livro é de ficção, mas foi baseado na história verídica das irmãs Grimké que foram figuras importantíssimas na época, para abolição da escravidão e defesa das mulheres. “ As pernas de mamã voltariam a andar coo antes, mas ela nunca mais foi a mesma por dentro. Depois daquele dia, parecia que parte dela sempre estava esperando o cinto ser afrouxado. Parecia que naquele dia ela começou a alimentar sua fogueira de ódio”,p. 46

Sinceramente é difícil descrever através de palavras a gama de sentimentos que A Invençãodas Asas pode causar no receptor. É uma obra sensível, rica e acima de tudo forte. O leitor é transportado exatamente para aquela época e sofre junto com as personagens. A descrição das cenas é algo impressionante. Os maus tratos com escravos é chocante, o preconceito com a figura feminina também, mas é exatamente nesse quesito que ficção mostra a realidade de uma época que existiu e marcou muitas pessoas. É um livro sensacional. Para quem gosta de histórias de época, com personagens revolucionários A Invenção das Asas é um prato cheio. Perfeito. “Eu estava virando a ordem da criação de ponta-cabeça. O mais estranho de tudo: era a primeira vez que pensamentos de igualdade surgiam em minha mente, e eu poderia atribuí-los apenas a Deus, de quem recentemente eu me aproximara e estava me tornando mais insurrecionista do que obediente às leis”, p. 129.

Design e Diagramação
A capa é muito bonita, chama bastante atenção em conjunto com o título. O miolo é confeccionado com papel pólen soft o que ajuda a não cansar tanto a visão. Acredito que o tamanho da fonte poderia ter sido maior e espaçamento mais amplo.

Sobre a autora
O primeiro livro de Sue Monk Kidd, A vida secreta das abelhas, ficou por mais de um ano e meio na lista de mais vendidos do New York Times e foi adaptado para o cinema em 2008. Seu segundo romance, O monge e a sereia, que alcançou a primeira posição na lista de mais vendidos do New York Times, ganhou o prêmio Quill de 2005 para melhor obra de ficção e foi transformado em um filme para a TV. Hoje, Sue mora perto de Charleston, na Carolina do Sul. Fonte: Editora Paralela.

Postagens relacionadas com o tema


Licença Creative Commons
O trabalho A conquista da Liberdade de Paloma Viricio foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição - NãoComercial - SemDerivados 3.0 Brasil.

Obs.: Todos os textos produzidos neste blog são da minha autoria e estão registrados. Se utilizá-los, por favor lembre-se dos créditos.  

17 comentários:

  1. Que enredo interessantíssimo! Com certeza acho que esse é um tipo de livro que adoraria ler.

    Thoughts-little-princess.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Mais um livro para a minha wishlist. Parece ser ótimo, e estava atrás de uns livros históricos e sua resenha foi ideal. Aliás, a adorei!

    Beijos,
    chuvadeejaneiro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Amei! srsr'

    http://aprateleira2014.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Olá:)
    Poxa, gostei bastante da sua resenha...confesso que nunca tinha ouvido falarem desse livro, e me interessei.
    Beijinhos
    www.my--bookshelf.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Oieeee, to louca pra ler esse livro. Tá aqui na filinha. Ele fala de assuntos bem fortes, e apesar de não curtir muito, quero ler e tirar a prova.

    Beijos, http://porredelivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Não gosto muito desse tipo de história, mas adorei a resenha.

    Beijos

    Jéssica
    Fashion Jacket - www.fashionjacket.com.br

    ResponderExcluir
  7. Oi Paloma!

    Parece uma leitura muito interessante!
    Um ótimo final de semana!

    Abraços, Iris

    ResponderExcluir
  8. Eu adoro livros e filmes com temas assim,me identifico muito.

    ResponderExcluir
  9. Oi Paloma!
    Esse livro parece ser muito bonito e cheio de coisas a ensinar. Fiquem com vontade de ler *-*
    Ah, adorei a resenha, super organizada *o*

    Ah, acabei de voltar a ativa com o blog! Dá uma passadinha lá :D
    Um beijo,
    http://obsessivejerk.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Esse é um livro que gostaria muito de ler, parece muito bom e a capa é linda.
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. A capa desse livro é perfeita e melhor ainda sua resenha. O tema é muito legal e me interesso bastante por questões feministas.
    Beijos e queijos.

    ResponderExcluir
  12. Esse livro parece legal, quero ler.
    Xoxo

    ResponderExcluir
  13. Livro muito interessante e suas resenhas sempre me conquistam.
    Beijos

    ResponderExcluir
  14. Não faz muito meu estilo mas minha irma iria gostar de ler. Vou passar para ela a dica

    ResponderExcluir
  15. Paloma!
    Livros ambientados no século XIX são sempre interessantes ainda mais quando abordam temas sociais e as conquistas alcançadas.
    Muito boa resenha.
    Vim agradecer a visita feita ao blog e convidar para comemorarmos nossos 3 anos de existência, espero você por lá.
    Bom domingo!
    cheirinhos
    Rudy
    Blog Alegria de Viver e Amar o que é Bom!
    “Se formos livres por dentro, nada nos aprisionará.”

    ResponderExcluir
  16. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  17. Olá Paloma! Que saudades estava daqui *-*
    Nunca li nada desse tipo, mas acho que está na hora de ler pra ver se vou gostar.
    Ótima resenha! Já adicionei o livro no skoob.

    xoxo
    http://lepetit-mari.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.