Entrevista com escritora Alane Brito

Olá meus leitores!O Monólogo de Julieta traz entrevista com a autora Alane Brito que escreveu vários livros dentre eles O que me disseram as Flores. Vamos conferir?


Sobre o livro
Presa a uma promessa feita por seu pai, Ângela decide desafiá-lo a aceitar que não é vontade dela se casar com alguém que conhecia apenas através de cartas. Deixando-se levar por uma mentira, William viaja até a prometida, acreditando encontrar uma moça tão apaixonada quanto ele. Entretanto, depara-se com a força da raiva de alguém com quem sonhava passar o resto de sua vida. Por conta do grande amor que aprendeu a nutrir por ela, decide, então, lutar para conquistá-la. Usando a linguagem das flores para se declarar e, cada dia, se revestindo de uma força descomunal para suportar as palavras afiadas e suas duras atitudes, ele tenta encontrar uma maneira de fazer com que o ódio, que ela tanto demonstra sentir, se transforme em algo bom, mas para isso ele mesmo precisa continuar acreditando que é possível... 
Um grande amor é realmente capaz de suportar tudo? 
Conheça a emocionante história de duas pessoas numa mesma batalha, mas por desfechos diferentes. 
E que vença o mais obstinado. 


Monólogo de Julieta- Como iniciou o desejo de ser escritora?
Alane Brito-Confesso que foi algo que surgiu do nada. Em pensava em muitas histórias e um dia eu quis visualizar algumas e poder revê-las depois, então, comecei a fazer quadrinhos delas. Até que me dei conta de que só escrever daria menos trabalho.

Monólogo de Julieta-Você tem dois livros publicados, certo? O Trio e O que me disseram as Flores. Nos conte um pouquinho sobre eles.
Alane Brito-Na verdade, até o momento, só tem O Trio publicado. O Que Me Disseram as Flores sai esse ano ainda, creio que em junho ou julho. O Trio fala sobre a amizade de três garotos, Davi, Jordan e Nelson, que viviam numa vila no meio do nada, sobre suas paixões, o esforço para manterem essa amizade em meio às dificuldades que surgem ao longo do amadurecimento deles, especialmente quando um dos três é acusado de cometer alguns delitos. O mistério da história é se ele é ou não é mesmo o culpado, se eles realmente conhecem o amigo ou a si mesmos. É um romance com uma pitada de aventura, com algumas lições de vida. O Que Me Disseram as Flores é um romance mais açucarado. Fala do desespero de Ângela em se ver presa a um casamento arranjado com William, alguém que praticamente só conhecia através de cartas. Ela faz o que está ao seu alcance para fazer seu prometido desistir dela quando ele vai até a cidade onde ela mora para oficializar o noivado. Ângela só não contava com os encantos dele e, pouco a pouco, vai percebendo que não será tão fácil afastá-lo, porque ele decide que vai lutar para conquistá-la. Agora, só lendo o livro para saber quem será o vencedor dessa disputa. haha

Monólogo de Julieta- Como surgiu a escolha do nome dos livros?
Alane Brito-Eu penso em algo que não entregue de cara a história, mas que tenha conexão, claro. Às vezes, é fácil, mas geralmente, eu demoro um pouquinho. O Trio, por exemplo, eu só decidi mesmo quando o livro estava terminado. O Que Me Disseram as Flores foi diferente, porque ele tinha uma primeira versão que fiz há anos e anos e, desde aquela época, ele tinha outro título. Só que antes de eu conseguir uma editora, um livro de outra autora foi lançado com um título parecidíssimo, então, eu decidi mudá-lo. Não foi fácil escolher outro. (risos)

Monólogo de Julieta- Quando vai escrever um novo livro tem alguma dica ou segredo para que tudo saia bem?
Alane Brito-Bom... O que eu procuro fazer é já ter em mente onde quero chegar com o que vou abordar. Ter também os personagens planejados, ambiente, época... Mas creio que o principal é ter segurança no assunto que estará tratando, na essência, para não se perder no meio do caminho. E não pense que depois que terminar de escrever pode considerá-lo prontinho, creio que esse seja só 20% do processo. Depois, umas boas revisadas faz você ter uma visão melhor e encontrar fios soltos, se há falta de coerência, entre outras inúmeras falhas que juramos não existir! (risos)

Monólogo de Julieta- Qual a sensação que você tem quando vê um livro terminado?
Alane Brito-De muita satisfação e alívio, porque só termino um livro que me agrade de verdade. Alguns ficaram no meio do caminho...

Monólogo de Julieta- Como busca inspiração para escrever?
Alane Brito- Bom, o que mais me segura num novo trabalho, a ter o desejo de escrever sem parar, é ter um personagem que me conquiste perdidamente e eu preciso estar focada, meio que em conexão com tudo na história. Ler livros ou ver filmes sobre o assunto que vou tratar é bem legal também.

Monólogo de Julieta- Se pudesse ser um dos personagens que já criou, qual seria? Por quê?
Alane Brito-Difícil essa... Deixa eu pensar... Acho que a Leonor, de O Trio, porque ela é uma personagem que tem suas limitações, como todo ser humano, mas quando precisou se mostrar forte, ela ficou firme. E isso foi crucial para o seu final, inclusive no quesito coração...

8 - Sobre qual tema escreveria um outro livro? Por quê?
Alane Brito-Bom, eu sempre opto por romances, porque é bom escrever sobre o que a gente sente que pode dominar melhor. Inclusive já comecei um novo. Mas gosto de dar uma incrementada, fugir daquela coisa de “moça encontra um belo rapaz, se apaixonam brigam e depois vivem felizes para sempre”. E mudando um pouquinho de gênero, pretendo continuar um sobre heróis, que comecei e parei. Mesmo assim, não vai deixar de ter uma pitada de romance também.

Monólogo de Julieta- Como seria seu paraíso literário?
Alane Brito-Meu paraíso seria se algumas pessoas deixassem de ter tanto preconceito com os livros nacionais e dessem a mesma importância que dão aos estrangeiros, que eles fossem mais em conta para que todo mundo que cultiva o interesse de lê-los tivesse oportunidade de adquirir, pelo menos, a maioria dos livros que eles têm vontade de conhecer, enfim... Que fosse uma disputa justa.

Monólogo de Julieta- Qual a maior dificuldade que enfrentou para publicar seus livros? Como superou essa situação?
Alane Brito-A principal dificuldade foi encontrar uma direção, mas depois que me informei direitinho, não tive muita dificuldade em publicar, graças a Deus. Creio que o problema maior veio depois, que ainda é a divulgação, conseguir chamar a atenção para os meus livros, encontrar um lugarzinho no mercado em meio a tantos títulos de peso.

Monólogo de Julieta-Como se sente com a receptividade das pessoas que leram suas obras?
Alane Brito-Graças a Deus, tenho recebido elogios. Muitas vezes fico até sem graça, porque não sei lidar muito bem com isso (risos). É bem extasiante quando alguém entra em contato para dizer o quando a história lhe marcou, que as lições que tentei passar tiveram resultado. Fico feliz de verdade em conseguir atingir a finalidade planejada.

Monólogo de Julieta- De que forma as parcerias literárias com blogs/sites ajudam o escritor?
Alane Brito-É de uma importância sem precedentes. Sem vocês, creio que a grande maioria dos leitores que conhecem meus livros hoje, até o momento, nem saberia do que se tratam.

Monólogo de Julieta- Diga um autor preferido no Brasil? Por quê?
Alane Brito-Samanta Holtz. Porque a escrita dela é delicada e, pelo que conheço dela, é completamente apaixonada pelo que faz. Consegue passar isso nas linhas que escreve.

Monólogo de Julieta- Diga um autor estrangeiro preferido? Por quê?
Alane Brito-Stephen King. Porque ele sabe desenvolver ambientes e personagens marcantes. Ele cria uma atmosfera que é impossível você não se envolver, de se sentir presa ao livro.

Monólogo de Julieta- Qual a dica que você daria para futuros escritores?
Alane Brito-Revise, revise, revise, revise e tenha paciência. Não se desespere para não se meter em problemas. Não desista nas primeiras dificuldades, uma hora seu momento vai chegar. Aceite críticas, você não vai agradar a todos e seja humilde, se tiver que começar de baixo, não tem problemas. Se seu destino for ser escritor de uma grande editora, isso vai acontecer mais cedo ou mais tarde. O fato é que, para iniciar a sua carreira, é preciso dar o primeiro passo.

Monólogo de Julieta- Para encerrar gostaria de fazer um bate e volta com você.
Alane Brito-Uma pessoa: Minha filha
Um desejo:
Que meus livros sejam apreciados mundialmente :D
Um livro: “
Grande Sertão: Veredas”, me marcou muito
Uma música:
Estou em Paz – Novo Tom
Uma comida:
Pizza
Uma bebida: Coca-Cola
Uma frase: “Não temas, porque eu sou contigo...” Isaías 41:10
Animal de estimação:
Tenho cachorro, mas gosto mais de gatos
Filhos: Completam o casamento
Dinheiro:
Necessário
Felicidade: Está nas coisas mais simples da vida
Fama: Um sonho
Religião: Evangélica, mas sem fanatismo
Blogueiros: Anjos
Falsidade: Só quem faz uso dela acha que não é uma coisa desprezível

Sobre a autora
Sou tímida, muito crítica, perfeccionista, chocólatra,amo histórias e, principalmente, amo cria-las. Tenho fixação por personagens. Não sou perfeita, mas procuro fazer o meu melhor. Deus é o meu guia, e espero nEle conseguir mostrar ao mundo, se possível, as minhas criações e desejo que elas ajudem a fazer as pessoas relaxarem, tomar bons conselhos e ler mensagens otimistas..

Contato

È autor ou tem um blog e quer ser entrevistado pelo Monólogo de Julieta? Basta enviar um mensagem pela página Contato através do formulário. 

10 comentários:

  1. Essa entrevista é rica, cheia de lições e com um papo ótimo sobre seus livros e outros autores. Parece muito bom mesmo! Fiquei curiosa pelo lançamento.

    ResponderExcluir
  2. Não conhecia a autora
    Mas gostei bastante da entrevista
    Super simpática e o livro parece ser muito bom também
    Já estou seguindo *~

    Beijos
    |•| http://pocketlibro.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Olá, Paloma, tudo bem?
    Que bacana. Eu adoro essas entrevistas.
    Assim como a escritora Alane eu desejo que os livros sejam apreciados mundialmente. :)

    Beijos,
    Nina & Suas Letras

    ResponderExcluir
  4. Olá, Paloma, tudo bem?
    Que bacana. Eu adoro essas entrevistas.
    Assim como a escritora Alane eu desejo que os livros sejam apreciados mundialmente. :)

    Beijos,
    Nina & Suas Letras

    ResponderExcluir
  5. Olá, Paloma, tudo bem?
    Que bacana. Eu adoro essas entrevistas.
    Assim como a escritora Alane eu desejo que os livros sejam apreciados mundialmente. :)

    Beijos,
    Nina & Suas Letras

    ResponderExcluir
  6. Oi,Paloma
    Adorei conhecer um pouco mais da autora, que até então não conhecia. Adorei o título do livro, sou facilmente arrastada por uma escolha assim. E depois da sinopse, acho que é bem o que eu aprecio ler.
    Fico feliz com a divulgação e o sucesso que a nossa literatura tem alcançado e espero que os livros da Alane tenham muito sucesso. Talento ela provou que tem, além de coragem.
    Beijos!

    Fiz uma nova resenha e adorarei saber a sua opinião - A Invenção das Asas:
    As Meninas que Leem Livros

    ResponderExcluir
  7. Adorei, achei a autora super simpática e fiquei curiosa com o livro,vou esperar lançar.rs.

    ResponderExcluir
  8. Oi, Paloma! Apesar de não ter lido nada da Alane, já conversei com ela algumas vezes, e em todas foi bastante simpática. Gostei da explicação dela sobre os títulos, imagino que deve ter sido uma barra ter que abrir mão do 2º por causa de um parecido de outra autora (inclusive agora tem um totalmente homônimo. rs).
    Ótima entrevista!
    Beijinhos!
    Giulia - Prazer, me chamo Livro

    ResponderExcluir
  9. Oi,

    adorei a entrevista! O livro dela parece ser bem legal e a capa é linda!

    Bjs

    ResponderExcluir
  10. Oi Paloma, adorei a entrevista. Quero muito ler O Trio e gostei dos conselhos dela...bem assim mesmo; revisar é um de nossos verbos preferidos rsrsrsrs
    Beijooooooooooooooosssssssssss

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.