Entrevista com escritor Marcelo Garbine

Olá meus leitores!O Monólogo de Julieta traz entrevista com o autor Marcelo Garbine que já escreveu diversos livros, tem um site com conteúdo muito legal e além de tudo é compositor. Quer mais? Vamos conferir...





Monólogo de Julieta- Marcelo Garbine é...
Marcelo Garbine-Itinerante do âmago que encontrou nas letras um meio de compartilhar os seus devaneios e valores.

Monólogo de Julieta-Como iniciou o desejo de ser escritor? Há quanto tempo escreve?
Marcelo Garbine-Aos três anos, eu ditava estorinhas para a minha mãe escrever em papel almaço. Ela recortava e grampeava em forma de livrinho, com direito a capa, título e minha assinatura como autor. Os meus olhinhos pueris encantavam-se e brilhavam de alegria. Era divertido.

Monólogo de Julieta-Quantos livros você já escreveu? Nos conte um pouco sobre cada um.
Marcelo Garbine-Publiquei os meus primeiros livros aos dezessete anos: “A ressurreição do poeta” e “A refeição dos micróbios”. Eu dava palestras sobre os livros, em escolas, para adolescentes da mesma idade que eu. O primeiro é um diálogo do meu estado poético de espírito com a materialização das minhas personalidades. O segundo é um manifesto jovial e inocente sobre a liberdade de expressão. Ambos foram escritos miscigenando-se prosa e verso. Houve um desvio muito forte na minha rota. Fiz faculdade de economia e depois me tornei funcionário público do poder judiciário. A literatura e a poesia continuaram acompanhando a minha trajetória, mas ficaram, artificiosamente, ofuscadas, relegadas aos momentos de profunda inspiração. Evidentemente, era uma bomba relógio que, uma hora, explodiria. Por isso eu estou aqui. Atualmente, escrevo sempre, independentemente de inspiração. Cobro-me profissionalismo. Consigo escrever uma crônica de humor, mesmo nos momentos em que não estou bem, no meu íntimo.

Monólogo de Julieta-Qual deles é seu xodó? Por quê?
Marcelo Garbine-O primeiro porque foi mais espontâneo e possibilitou que as pessoas compreendessem um pouquinho sobre mim, o que era uma necessidade deveras importante, tanto naquele momento como hoje.

Monólogo de Julieta-Você me disse que escreve poesias e crônicas com frequência. De onde tira inspiração para criá-las?
Marcelo Garbine-Dos próprios fatos do dia a dia e que marcaram a minha vida. Escrevo as minhas crônicas em primeira pessoa justamente por isso. Cada tema remete a um período específico da minha vida, seja atual, da adolescência dou da infância. No caso das poesias, algumas são baseadas em amores e relacionamentos e outras no afã de expressar um estado de espírito pessoal, do que sou ou do que almejava ser quando a escrevi.

Monólogo de Julieta-Você escreve letras de músicas. Qual a principal diferença entre escrever outros tipos de textos e letras de músicas?
Marcelo Garbine-No meu site http://mingauacido.com.br/, eu escrevo crônicas de humor, poesias, letras de música, textos motivacionais e dicas gramaticais. No caso das letras de música, não existe o compromisso ferrenho com a obediência à norma culta da língua e com a dissertação lógica. São poesias adaptáveis para a expressão musical. Uma Forma de fraseologia livre, modulada pela circunscrição de ideias exprimidas de modo agradável ao órgão sensorial auditivo, apenas. Quando escrevo uma crônica, coloco o meu coração nela, mas explico os sentidos com coerência argumentativa. Numa letra de música, não se argumenta no sentido literal da palavra, e, sim, lança-se os sentimentos, ruptilmente, e a conexão congruente é esquadrinhado pela sensibilidade poética do receptor. Apesar do texto em prosa requerer, também, uma interpretação, são nas poesias e nas letras de música que a vacância alforriada é ofertada com mais ênfase à outra ponta comunicativa.

Monólogo de Julieta-Sobre qual tema escreveria um outro livro? Por quê?
Marcelo Garbine-Quando escrever um romance, explanarei sobre fatos e consequências, num processo quântico. Gosto dessa magia que, dialeticamente, desfaz todo o mito do sobrenatural, empolga com a ideia de que construímos universos com pequenos gestos e pensamentos e, concomitantemente, ensina sobre a responsabilidade de cada atitude nossa, por menor que seja. Para que essa elucidação seja melhor assimilada, nada melhor do que reportá-la de bem longe, algo como um pequeno país, de preferência situado numa ilha, real ou imaginário. A razão disso é a necessidade que temos de olharmos para fora, de preferência para uma cultura bem distinta, para enxergarmos o no “eu” em outros “eus”, cairmos em nós acerca da homogeneidade humana e compreendermos, por conseguinte, quem somos nós e quem são os outros, que, no fundo, é a mesma coisa.

Monólogo de Julieta-Tem algum trabalho em andamento? Se sim, nos conte um pouco sobre ele.
Marcelo Garbine-Algumas crônicas gramaticais, que são didáticas e humorísticas, no mesmo passo, estão sendo escritas por capítulos cujas leituras podem ser feitas sequencial ou separadamente. As minhas letras de música estão sendo trabalhadas pelos meus amigos e músicos Pedro Georges Eleftheriou e Mariana Luedi, com direito a clipes, violão, piano e violino, dentre outros incrementos. Uma nova versão do meu site, com mais capricho no designe, variedade maior de seções, mídias e conteúdos e maior comodidade para o leitor, está sendo preparada e entrará no ar, em breve. Outrossim, lançarei um e-book contendo crônicas de humor e poesias.

Monólogo de Julieta-Se pudesse ser personagem de livro, qual seria? Por quê?
Marcelo Garbine-Seria o Sinclair, do livro Demian, de Hermann Hesse, por conta da apaixonante busca interna.

Monólogo de Julieta-Como seria seu paraíso literário?
Marcelo Garbine-Já estamos vivendo-o com a fartura literária online e a interação entre escritores e leitores – inclusive em tempo real – através das redes sociais. A importância do livro tradicionalmente impresso continua existindo, mas temos a opção de alcançar, instantaneamente, o público, fazendo uso do que a internet oferta. Esse recurso tecnológico permite, até mesmo, comprarmos com muito mais facilidade os nossos afavelmente táteis livros de papel.

Monólogo de Julieta-Qual a maior dificuldade que enfrentou para publicar seus livros? Como superou essa situação?
Marcelo Garbine-A inocência e a falta de maturidade. Ainda adolescente, minha personalidade estava em formação. Era operoso sustentar tudo o que buscava expressar nas letras.

Monólogo de Julieta-Como se sente com a receptividade das pessoas que leram suas obras?
Marcelo Garbine-Irradiantemente feliz. Um elogio sincero de alguém que leu um texto ou poesia meus, emocionou-se ou riu, não tem preço.

Monólogo de Julieta-De que forma as parcerias literárias com blogs/sites ajudam o escritor?
Marcelo Garbine-Escritores contemporâneos de ponta expõem-se, comumente, em blogs ou sites. A tecnologia moderna assente a linkagem fácil entre revelações do mundo da literatura, permitindo que os públicos, até então dispersos, descubram outros autores, que, por serem do agrado do escritor que gosta de contemplar, possui grandes chances, também, de cair nas graças de seu paladar literário.

Monólogo de Julieta-Diga um autor preferido no Brasil? Por quê?
Marcelo Garbine-Com o Machado de Assis, pude organizar melhor as minhas ideias soltas. Sua literatura robusta ajudou-me a não permitir que um turbilhão de pensamentos fosse dissipado na minha mente.

Monólogo de Julieta-Diga um autor estrangeiro preferido? Por quê?
Marcelo Garbine-Eu não gostava dos livrinhos infantis colocados à disposição das crianças, na escola. Eram medíocres e subestimavam as nossas inteligências. Títulos como “O tatuzinho feliz” davam-me nos nervos. Com dez anos, eu li “A revolução dos bichos” de George Orwell. A estória ficou na minha cabeça e, conforme fui crescendo, pude compreender que se tratava de mais que uma estória de porquinhos e cavalinhos: era uma crítica ao totalitarismo. Creio ser esse tipo de literatura que deva ser apresentado às crianças. O conteúdo será assimilado com o tempo, conforme se desenvolvem e amadurecem.

Monólogo de Julieta-Qual a dica que você daria para futuros escritores?
Marcelo Garbine-Seja você mesmo a todo instante. Se você tentar ser outro escritor, será como cantar fora do tom.

Monólogo de Julieta-Para encerrar gostaria de fazer um bate e volta com você.
Marcelo Garbine-
Uma pessoa: Minha musa inspiradora Camila Giacometti.
Um desejo: Dedicar-me exclusivamente à literatura e ter uma equipe que cuide de todo o restante do processo, como vendas e divulgação.
Um livro: “O Processo” do Franz Kafka.
Uma música: “O teatro dos vampiros” do Legião Urbana.
Uma comida: Sushi de ovas de peixe.
Uma bebida: Coca-cola. Tomo cerca de oito litros por dia.
Uma frase: “Se você pensa que pode ou se pensa que não pode, de qualquer forma você está certo” (Henry Ford)
Animal de estimação: Logo, terei um Lhasa Apsu e o seu nome será Pudim.
Filhos: Ainda não os tenho. Estão nos meus planos e serão o sentido da minha vida, juntamente com a expressão literária.
Dinheiro: Consequência de um trabalho bem feito.
Felicidade: É uma tríade: viver o amor dos sonhos, trabalhar fazendo o que gosta e transmitir valores.
Fama: Reconhecimento do talento, do esforço e do trabalho.
Religião: “A dúvida é preço da pureza e é inútil ter certeza” (Humberto Gessinger)
Blogueiros: Marreco e Kchaço, os heróis do blog Geração X2, no qual comecei e por isso sou eternamente grato.
Falsidade: Facilmente detectável: o corpo fala.



O autor



Contato

È autor ou tem um blog e quer ser entrevistado pelo Monólogo de Julieta? Basta enviar um mensagem pela página Contato através do formulário. 


Encontre  Monólogo de Julieta  também no:


34 comentários:

  1. Oi, Paloma! Não conhecia o autor e confesso que gostei bastante dele! Adorei as suas perguntas e as respostas dele! Parabéns pela entrevista! :)

    Abraço

    http://tonylucasblogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Adorei a entrevista do meu escritor favorito. <3

    ResponderExcluir
  3. Nossa, desde os três anos ele já criava histórinhas? Que incrível. A entrevista ficou muiiito legal, parabéns!


    Beijos
    Brilho de Aluguel

    ResponderExcluir
  4. Muito simpático, adorei a sinceridade! *-*

    ResponderExcluir
  5. Gostei bastante da entrevista pois eu não conhecia esse escritor.

    Páginas em Preto

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Muito boa entrevista, parabéns para você e para o Marcelo, sucesso para ambos.

    Arthur Claro
    http://arthur-claro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. E tem como não apreciar a notável inteligência literária de uma pessoa?
    Sou um apaixonado pela Literatura e é recompensador quando vejo que ainda existe mentes das letras. Quando citaste Machado de Assis lembrei-me da prazerosa leitura que tive ao lê-lo inúmeras vezes, ele realmente é o melhor, no meio de muitos que podemos notar também. As letras me fascinam, e a curiosidade pelas crônicas gramaticais, certamente será um ótimo livro.
    Meus parabéns Marcelo Garbine pelo magnifico trabalho! Espero um dia ler um livro seu.

    ITALO MAESTRASSI

    ResponderExcluir
  8. Adorei a dica para os novos escritores, pois acho que não há verdade maior! Afinal, se não for assim, apenas teríamos cópias e mais cópias.
    Letras & Versos

    ResponderExcluir
  9. Olá,

    Parabéns pela entrevista, que demais!
    Deve ser bem legal ter o dom para ser escritor. Viver no seu mundo, ter suas ideias publicadas...
    <3

    Beijinhos
    Platina Rosa || Instagram || Facebook

    ResponderExcluir
  10. Oii.
    Ah, adorei conhecer o autor. Gosto de poesias, enfim, mas prefiro (minha paixão) são crônicas. Assim como ele, comecei a escrever por fatos diários, que acabavam me motivando a escrever.

    =D

    http://mundo-restrito.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. Bem interessante a entrevista; acho que já ouvi o nome do autor em algum lugar, mas não me lembro onde.
    petalasdeliberdade.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Poxa! Gente boa esse Marcelo, hein? Gostei bastante do modo como ele respondeu e das ideias dele. Salvei o link do site dele e lerei em breve um pouco das obras desse autor.
    Bela entrevista, Paloma!
    Beijo!

    Sacudindo Palavras

    ResponderExcluir
  13. Oi, tudo bem?
    Que entrevista show! Começou a pensar em histórias ainda criança, achei genial saber que a mamãe escrevia o que ele ditava, haha.
    E com certeza os blogs literários ajudam bastante na divulgação da literatura contemporânea, principalmente a nacional.

    BIO-LIVROS

    ResponderExcluir
  14. Olha eu denovo aqui, respondendo sua pergunta: são chocolates da cacau show, o nome é sushi show :D obrigado pelo carinho e adorei ver a tag! respondida! beijo

    ResponderExcluir
  15. Adorei a entrevista! Achei tão fofo ele ditar histórias já tão novinho *-* e ainda mais ter aperfeiçoado o talento, além de outras habilidades. É incrível essa gente que sabe fazer milhões de coisas né, ele é até compositor!! Que vida boa :( hahaha

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/
    Tem resenha nova de "A Lista Negra" no blog, vem conferir!

    ResponderExcluir
  16. Oi
    Parabéns a entrevista ficou ótima!!
    Beijinhos
    Renata
    Escuta Essa

    ResponderExcluir
  17. Simpatia em pessoa *_* adorei a entrevista com ele..
    E poxa 3 aninhos ja tinha o dom?

    Beijos
    http://saidaminhalente.com/

    ResponderExcluir
  18. Olá, Paloma! Amei a entrevista, suas perguntas possibilitaram respostas excelentes do autor. Adorei a resposta dele sobre o paraíso literário e o do seu autor estrangeiro favorito! Beijos!

    www.bibliophiliarium.com

    ResponderExcluir
  19. Olá Paloma, como vai?
    Adorei a entrevista, nossa, desde os três anos? Que coisa fofa (=
    Quando publicar o romance eu quero saber haha, gostei da entrevista, mas querido, 8 litros de coca-cola? rsrs.
    Eu amei e quero ser entrevistada haha \o/

    Beijos!
    De tudo um pouco

    ResponderExcluir
  20. Olá Paloma, como vai?
    Adorei a entrevista é sempre bom conhecermos mais dos autores nacionais, merecem todo apoio e carinho.
    Que fofo, desde os três anos, quando publicar o romance quero saber (=
    Querido, 8 litros de coca-cola??? rsrs.
    Obaa, eu quero ser entrevistada xD

    Beijinhos!
    De tudo um pouco

    ResponderExcluir
  21. Oi Paloma!
    Tudo bem?
    Eu adorei a entrevista. Não conhecia o autor e gostei muito do jeito com que você conduziu a entrevista e das respostas dele. :)

    Beijussss;
    https://www.facebook.com/BlogMenteHipercriativa
    http://hipercriativa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  22. É interessante estas entrevistas que a amiga publica no seu blogue.
    Eu nos meus blogues tento divulgar trabalhos de outras pessoas:
    poesia-pintura-fotografia-imagens, etc. Considero que os meus blogues
    acabam por ser um pouco de todos os que me visitam.
    Bj. e bom fim de semana.
    Irene Alves

    ResponderExcluir
  23. Passando para desejar-lhe um feliz final de semana!!!!!
    Super beijos da Tatá!!!!

    ResponderExcluir
  24. Não conhecia, adorei a entrevista :3

    www.vestindoideias.com

    ResponderExcluir
  25. Eu já havia gostado da entrevista que a Paloma fez comigo. Depois de ler os comentários, fiquei mais feliz ainda! Obrigado, Paloma e todos os que comentaram!

    ResponderExcluir
  26. Oiee ^^
    Acho que o primeiro livro de um autor sempre é o favorito e o mais difícil de escrever, né? Sempre reparo nisso nas entrevistas.
    Não conhecia o autor, mas gostei bastante da entrevista ^^
    MilkMilks
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  27. Como não gostar?
    Maravilhosa entrevista !
    Parabéns a equipe e ao entrevistado todo meu respeito e carinho!
    Talento aqui com Marcelo Garbine é dom e o sucesso consequência desse dom e de muito trabalho!
    Abraços amigo!
    Como sempre digo você ainda vai muito , muito longe!
    SuelySette

    ResponderExcluir
  28. Parabéns Marcelo, te conheço a poco tempo através do Facebook, sua brincadeira de criança é muito séria. Parabéns pelo profissionalismo que emprega e pela eloquência que carrega. Abraço, Jota!

    ResponderExcluir
  29. Talento o Marcelo sempre teve.Agora flui e cada vez mais pessoas vão conhecer o seu trabalho e comprovar o seu valor : uma fonte de ideias e emoções

    ResponderExcluir
  30. Talento o Marcelo sempre teve. Agora flui e as pessoas que conhecem o que produz, admiram e confirmam que há em tudo mostras de uma fonte de ideias e emoções.Sem fim.

    ResponderExcluir
  31. " Se você pensa que pode ou pensa que não pode, de qualquer maneira você está certo." ( Henry Ford ).começo por essa frase que resume todo o conceito que tenho de um grande escritor como você Marcelo Garbine . Eu penso que posso escrever , como fã do seu trabalho , o comentário que se segue....Em primeiro lugar gostaria aqui de agradecer à uma pessoa fantástica que acreditou em você desde os três anos de idade , que é a sua mãe...Obrigada mãe...! E agora eu recomeço...Como definir Marcelo Garbine ? É uma profusão de idéias que fervilham o tempo todo...literalmente 24 horas por dia, só parando para tomar os venenosos 8 litros de Coca-Cola por dia ...Faz parte de uma nova geração literária muito bem vinda por sinal...Nas crônicas de humor , e diga-se de passagem, bota humor nisso, pois não consigo parar de rir do início ao fim, aliás me perco no texto pois literalmente sou obrigada a parar para absorver tanta criatividade...observa-se também o sarcasmo e a acidez que para mim é uma espécie de assinatura do escritor ....eu adoro isso...é como um chocolate com pimenta...Nas poesias em grande parte o amor aflorando seja em toda a sua plenitude , intensamente, com suas alegrias ou tristezas , ou euforia, ou sexo, ou angústia ou dor ou prazer...sim...tudo muito intensamente ...sem poupar o lirismo, e a métrica...tudo muito bem estruturado...lindíssimo...Como compositor, suas letras são de uma sensibilidade extrema...já escutei umas tantas vezes a música ..."rasguei o livro...quebrei a parede...", lindamente cantada pela Mariana Luedi e tendo como músico Pedro Georges Eleftheriou...um grupo de primeiríssima ...perfeito...Quanto as dicas gramaticais, gente vocês conseguem estudar gramática se se cansar ou enjoar, ou querer jogar longe as tais regras gramaticais ? Não ? Então façam como eu , leiam as dicas do Marcelo...são anticonstitucionalissimamente gostosas de serem estudadas e incansáveis...Além do textos motivacionais, dos quedrinhos ...etc...Esse grabde escritor nos dá dicas de ótimas leituras e como ele mesmo diz , caem totalmente no agrado dos seus leitores uma vez que identificamos com o gosto do nosso Marcelo, e isso cria verdadeiramente uma fartura literária , comodito na entrevista e o que é melhor, a interação entre escritores e leitores em tempo real através das redes sociais...Enfim , Marcelo Garbine é admirável por todo o seu histórico e suas produções...Ah...sem falar que tendo um machado de Assis como escritor brasileiro de grande admiração e inspiração, só nos faz sermos mais ainda fãs...Obrigada grande escritor...que entrevista tão verdadeira e maravilhosa.Obrigada Paloma Viricio por publicá-la...

    ResponderExcluir
  32. " Se você pensa que pode ou pensa que não pode, de qualquer maneira você está certo." ( Henry Ford ).começo por essa frase que resume todo o conceito que tenho de um grande escritor como você Marcelo Garbine . Eu penso que posso escrever , como fã do seu trabalho , o comentário que se segue....Em primeiro lugar gostaria aqui de agradecer à uma pessoa fantástica que acreditou em você desde os três anos de idade , que é a sua mãe...Obrigada mãe...! E agora eu recomeço...Como definir Marcelo Garbine ? É uma profusão de idéias que fervilham o tempo todo...literalmente 24 horas por dia, só parando para tomar os venenosos 8 litros de Coca-Cola por dia ...Faz parte de uma nova geração literária muito bem vinda por sinal...Nas crônicas de humor , e diga-se de passagem, bota humor nisso, pois não consigo parar de rir do início ao fim, aliás me perco no texto pois literalmente sou obrigada a parar para absorver tanta criatividade...observa-se também o sarcasmo e a acidez que para mim é uma espécie de assinatura do escritor ....eu adoro isso...é como um chocolate com pimenta...Nas poesias em grande parte o amor aflorando seja em toda a sua plenitude , intensamente, com suas alegrias ou tristezas , ou euforia, ou sexo, ou angústia ou dor ou prazer...sim...tudo muito intensamente ...sem poupar o lirismo, e a métrica...tudo muito bem estruturado...lindíssimo...Como compositor, suas letras são de uma sensibilidade extrema...já escutei umas tantas vezes a música ..."rasguei o livro...quebrei a parede...", lindamente cantada pela Mariana Luedi e tendo como músico Pedro Georges Eleftheriou...um grupo de primeiríssima ...perfeito...Quanto as dicas gramaticais, gente vocês conseguem estudar gramática se se cansar ou enjoar, ou querer jogar longe as tais regras gramaticais ? Não ? Então façam como eu , leiam as dicas do Marcelo...são anticonstitucionalissimamente gostosas de serem estudadas e incansáveis...Além do textos motivacionais, dos quedrinhos ...etc...Esse grabde escritor nos dá dicas de ótimas leituras e como ele mesmo diz , caem totalmente no agrado dos seus leitores uma vez que identificamos com o gosto do nosso Marcelo, e isso cria verdadeiramente uma fartura literária , comodito na entrevista e o que é melhor, a interação entre escritores e leitores em tempo real através das redes sociais...Enfim , Marcelo Garbine é admirável por todo o seu histórico e suas produções...Ah...sem falar que tendo um machado de Assis como escritor brasileiro de grande admiração e inspiração, só nos faz sermos mais ainda fãs...Obrigada grande escritor...que entrevista tão verdadeira e maravilhosa.Obrigada Paloma Viricio por publicá-la...

    ResponderExcluir
  33. Cinthia Moretti
    Você realmente tem a sensibilidade aflorada ! Muito bom!

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.