Resenha-Quem é você, Alasca? - John Green


Os livros de John Green sempre nos trazem questões, dentre essas sempre está a questão do infinito e da vida após a morte. Bem, não foi diferente em “Quem é você, Alasca?”. Eu tive uma ótima estória comigo durante essa leitura, ótimos personagens, acontecimentos divertidos, últimas palavras e aquele velho e chato acontecimento emocionante que dá uma reviravolta na estória e transforma os personagens. Bem, lógico que Green não inovou nesse acontecimento.

O livro trata-se do Grande Talvez e de Como Vamos Sair Desse Labirinto de Sofrimento. Miles Halter, vulgo “Bujão”, é o personagem principal, que vai estudar num colégio interno distante da família e dos amigos que ele define como “chatos”. Miles é apaixonado pelas últimas palavras de grandes pessoas, como presidentes e revolucionários. Uma das últimas palavras que começa o livro e dá sequencia às aventuras de Miles é a de François Rabelais, que foram “Vou em busca de um Grande Talvez”. E é isso que ele faz ao se aventurar num novo lugar e em fazer novas amizades que lhe trará novas experiências.
O livro é um velho romance adolescente, que discute de forma descompromissada várias experiências e sentimentos que se tem quando se é jovem. Além de introduzir também questões filosóficas sobre a vida e suas consequências. Apesar de a estória ser diferente, eu não vi muitas mudanças em relação ao livro mais famoso do autor “A Culpa é Das Estrelas”. O que me incomodou um pouco, pois ele usou a mesma linha de ideia, com a única diferença de que em A culpa É Das Estrelas ele aborda também a questão do câncer. Já em “Quem é você, Alasca?” Ele aborda questões típicas da adolescência, como fazer amigos, manter esses amigos, e a paixão platônica que quase sempre temos quando jovens. Eu considerei a ideia e a execução de “Quem é você, Alasca?” muito melhor do que A Culpa é Das Estrelas.
A estória te faz conhecer personagens fortes e engraçados. Na verdade o humor é muito bem inserido nesta história, que se torna dramática depois do “DEPOIS”. Afinal, o livro é dividido em duas partes o “ANTES” e o “Depois”. Sem dúvidas o ANTES é a melhor parte, é bem movimentada e articulada, cheias de acontecimentos interessantes e engraçados, já o Depois só é bom até certo ponto, pois acaba se tornando uma parte para “encher a salsicha”.
Eu indico o livro pra quem gosta destes romances adolescentes com o misto de comédia e drama. Mas aviso que a história não se diferencia tanto de A culpa é das estrelas no ponto filosófico e na ideia central do impacto que causa uma vida sobre outra. Achei que John fosse me impressionar, mas ele não foi inovador neste livro, mas ainda assim ele foi fantástico, afinal não é à toa que ele é tão adorado pelos seus leitores e pela mídia. A forma com que ele escreve deixa o personagem intimo do leitor em muito pouco tempo.

Aos que vão ler, desejo uma boa leitura. Até a próxima.

por Jadson L Ribeiro



DESIGN E DIAGRAMAÇÃO



CAPA: 8.7

DIAGRAMAÇÃO: 9

Achei a capa bem chatinha, sem grandes chamativo, como normalmente são as capas do John.
A diagramação é razoável, a ideia dos "dias antes" e "dias depois" parece chata, mas foi bem executada na diagramação.

Postagem feita por:

JADSON LUCAS RIBEIRO. Escritor. Poeta. Blogueiro. Aos 19 anos já publicou numa antologia de contos chamada Amores (Im)Possíveis, e também publicou livros na internet de forma independente. Seu primeiro romance é lançado em 2014 pela editora Selo Jovem. Apaixonado por Café, Livros, e Sossego.

Facebook PessoalTwitterGoogle + - Blog Pessoal

Encontre  Monólogo de Julieta  também no:

10 comentários:

  1. Eu sempre falo que gosto dos livros do Green mas alguns eu ainda não li. Acho que fiquei frustrada por ter lido Cidades de Papel e ter achado muito chato. Bom, mas tenho eu voltar a leras histórias dele, creio que esse livro que tu resenhou possa ser o próximo.

    http://mundo-restrito.blospot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi Jadson, como vai?

    Eu adoro Quem é Você, Alasca? É, sem dúvida, um dos meus livros favoritos. Não concordo com a sua opinião sobre a capa. Eu acho que ela tem tudo haver com a história, mas, opinião cada um tem a sua. Abraço!

    http://euvivolendo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Eu já tentei ler John Green muitas vezes mas realmente nunca consegui terminar nada dele, mas esse ano vou tentar de novo com esse livro haha

    http://criativare-leitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Eu tenho um sério problema com os livros do John Green, li ACEDE e não gostei tanto, mas gostei demais do Will & Will (talvez eu tenha gostado mais por causa do David). Ainda que eu não tenha gostado de A Culpa é das Estrelas, eu tenho interesse em ler todos os livros dele, não hoje e não amanhã. Acho que eu preciso de um tempo dos livros dele e de realmente me sentir interessada pelo livro. Gostei demais da sua resenha! Beijos.

    http://livro-apaixonado.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Livro incrível... Você acaba e pensa ''o que vou fazer da minha vida agora?''... Realmente incrível...

    http://amalhumorada.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Esse cara escreve muito bem mesmo. Eu li o livro e fiquei de queixo caído.
    Beijos e queijos

    ResponderExcluir
  7. Parece interessante, mas não sei se leria.
    Bjjs

    ResponderExcluir
  8. Eu pessoalmente acho a capa do livro linda. A história nao sei porque ainda nao li, mas vou comprar. Obrigada pela dica, jadson,
    Bjs

    ResponderExcluir
  9. Eu gosto do jeito intimo que ele escreve, as veses nem me identifico mas acabo entrando na história, rsrs; doido né? parece ser legal, a capa podia ser mais linda né? quero ver se leio este livro! BEIJOS *-*

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.