Resenha- Eu me chamo Antônio- Pedro Gabriel

Antônio é o personagem de um romance que está sendo escrito e vivido. Frequentador assíduo de bares, ele despeja comentários sobre a vida — suas alegrias e tristezas — em desenhos e frases escritas em guardanapos, com grandes doses de irreverência e pitadas de poesia. Antônio é perito nas artes do amor, está sempre atento aos detalhes dos encontros e desencontros do coração. Quando está apaixonado, se sente nas nuvens e nada parece ter maior importância, e, quando as coisas não saem como esperado, é capaz de enxergar nas decepções um aprendizado para seguir adiante. Do balcão do bar, onde Antônio se apoia para escrever e desenhar, ele vê tudo acontecer, observa os passantes, aceita conversas despretensiosas por aí e atrai olhares de curiosos. Caso falte alguém especial a seu lado (situação bastante comum), Antônio sempre se acomoda na companhia dos muitos chopes pela madrugada. A mente por trás de Antônio é Pedro Gabriel. Em outubro de 2012, ele inaugurou a página Eu me chamo Antônio no Facebook para compartilhar o que rabiscava com caneta hidrográfica em guardanapos nas noites em que batia ponto no Café Lamas, um dos mais tradicionais bares do Rio de Janeiro. Em seu primeiro livro, Pedro apresenta histórias vividas por seu alter ego, desde a cuidadosa aproximação da pessoa desejada, o encantamento e a paixão, até o sofrimento provocado pela ausência e a dor da perda. Os guardanapos que inspiram milhares de pessoas na internet.
Classificação:


Ficha Técnica
ISBN-13: 9788580574357
Ano: 2013
Páginas: 192
Idioma: português 
Editora: Intrínseca

Notas
Capa: 10/10
Conteúdo: 08/10
Diagramação: 10/10
Nota geral: 80/100

Poesias em guardanapo
Por Paloma Viricio
Visão Geral
"A vida sempre se encarrega de levar o que a agente não merece carregar". Existem personagens que marcam um escritor de forma tão forte que criam vida própria. Foi o que aconteceu com Antônio. Ele não é o escritor e sim personagem de romance criado por Pedro Gabriel. O rapaz (personagem), poético, frequentador assíduo de bar, cativou demasiadamente o público através de uma página no Facebook. Pedro Gabriel começou a postar os pensamentos de Antônio e os rabiscos em guardanapos manchados pelos líquidos causadores de ressacas caíram no gosto popular de muitos.

Amo poesias e isso não é novidade para ninguém. Então, desde que soube do lançamento desse livro fiquei muito curiosa para conhecer o trabalho do autor, ainda mais quando soube que o bolo havia sido dividido com um personagem. O mais engraçado é que  uma segunda edição similar à primeira já foi lançada e o tal romance nem começou.

Eu me chamo Antônio é uma obra muito criativa com frases impactantes. As poesias são lindas e acima de tudo sinceras. Por isso, conquistaram milhões de pessoais através das redes sociais. Antônio é tão humano que cedo ou tarde acabamos nos identificando com ele. A obra é repleta de ilustrações que complementam de forma ímpar os pensamentos apresentados. A única coisa que não gostei foi que algumas palavras são indecifráveis porque são “desenhadas”. Okey! É a impressão digital da arte dele. Ah, Paloma... Mas ele “traduz” as partes enigmáticas no final do livro. Sim! Só que quando chego lá já perdi a emoção e a meada da poesia. Não é a mesma coisa, entende?  Enfim... gostei do livro. Se puder ler o segundo vou aproveitar e fiquei curiosa sobre o romance. Um livro bom e chamativo. Indico.

Sobre o autor

Pedro Gabriel nasceu em N’Djamena, capital do Chade, em 1984. Filho de pai suíço e mãe brasileira, chegou ao nosso país quando tinha 12 anos. A adaptação à língua portuguesa foi bastante difícil e exigiu muita observação tanto dos sons quanto da grafia das palavras, um dos motivos para que Pedro desenvolvesse um talento raro para escrever. É formado em publicidade e propaganda pela ESPM-RJ.Fonte: Intrinseca.


Licença Creative Commons
O trabalho Poesias em guardanapo de Paloma Viricio foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição - NãoComercial - SemDerivados 3.0 Brasil.

Obs.: Todos os textos produzidos neste blog são da minha autoria e estão registrados. Se utilizá-los, por favor lembre-se dos créditos.  



Encontre  Monólogo de Julieta  também no:

3 comentários:

  1. Que legal, que divertido, o Gabriel é muito criativo, vou conhecer a page dele. Bjs, Loma!

    ResponderExcluir
  2. Não é meu tipo de livro. A ilustração não me atrai e esse problema para a leitura de algumas frases me deixa ainda mais com o pé atrás. Acredito que tenha ótimas frases sim, mas não consigo me identificar com esse tipo de arte.

    Obrigada pelo carinho. Beijos :*
    Claris - Plasticodelic

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Já vi muitos compartilhamentos da página dele, mas nunca tive oportunidade de ir mais fundo e conhecer o trabalho do autor. Adoro poesias também. Talvez essa resenha seja um sinal de que eu devo ir lá... rsrs
    Beijos!

    http://ymaia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.