Resenha- Dez coisas que aprendi sobre o amor- Sarah Butler

 dez coisas que descobri sobre o amor sarah butler
Butter, Sarah. Dez coisas que aprendi sobre o amor/ Sarah Butter; tradução de Paulo Polzonoff Junior. – Ribeirão Preto, SP: Novo Conceito Editora, 2015.
Por quase 30 anos, quando a brisa de Londres torna-se mais quente, Daniel caminha pelas margens do Tâmisa e senta-se em um banco. Entre as mãos, tem uma folha de papel e um envelope em que escreve apenas um nome, sempre o mesmo. Ele lista também algumas coisas: os desejos e o que gostaria de falar para sua filha, que ele nunca conheceu. Alice tem 30 anos e sente-se mais feliz longe de casa, sob um céu estrelado, rodeada pela imensidão do horizonte, em vez de segura entre quatro paredes. Londres está cheia de memórias de sua mãe que se fora muito cedo, deixando-a com uma família que ela não parece fazer parte. Agora, Alice está de volta porque seu pai está morrendo. Ela só pode dar-lhe um último adeus. Alice e Daniel parecem não ter nada em comum, exceto o amor pelas estrelas, cores e mirtilos. Mas, acima de tudo, o hábito de fazer listas de dez coisas que os tornam tristes ou felizes. O amor está em todas as partes desta história. Suas consequências também. Sejam boas ou más. Até que ponto uma mentira pode ser melhor do que a verdade?


Classificação:
Ficha Técnica
Autores: SARAH BUTLER
ISBN: 9788581637778
Selo: NOVO CONCEITO
Ano: 2015
Edição: 1
Número de páginas: 256
Formato/Acabamento: 16 x 23 x 1,6
Peso: 0.35 kg
Preço Sugerido: R$ 29.90
Área Principal: FICÇÃO
Assuntos: DRAMA

Notas
Capa: 10/10
Conteúdo: 04/10
Diagramação: 10/10
Nota geral: 60/100


O amor em listas
Por Paloma Viricio
se ame mais frases
Visão Geral
O jardim está descontrolado. O ar cheira a chuva. Dobro as pernas e me abaixo, as costas contra a parede, até estar sentada com as pernas  dobradas diante de mim. Encosto-me na casa; deixo que ela me abrace”, p.100. Assim é a maioria do tempo de Alice. Mesmo cercada pela família, ela nunca se sentiu realmente parte deles. A solidão é a única companheira que não a abandona.  Ela vive de lembranças, incertezas e listas. Dez itens escolhidos. O amor em dez partes.

Alice é uma mulher feita de 30 anos, mas que parece ter 15. As incertezas a perseguiram por toda a vida. Ela não consegue se livrar delas. O amor por Kal é alimentado por doces lembranças. A antipatia que alimenta pelas duas irmãs é algo real, mas que ela aprende a conviver. Uma mulher simples, sensível e perdida. Por outro lado, conhecemos Daniel. Ele é um homem maduro, inseguro, igualmente perdido, sensível. A vida perdeu a graça na visão dos dois. Mas como destinos tão parecidos podem ter algo em comum? Eles compartilham muito mais do que confecções de listas e admiração pelo céu estrelado.

Dez coisas que aprendi sobre o amor despertou algo diferente na minha pessoa. Gostei dos personagens e principalmente da escrita da autora (ótima descrição). Esse último ponto foi o que realmente me segurou e fez com que terminasse o livro bem rápido. Foi maravilhoso conhecer a história de Alice, Daniel... mas o final me lançou em um abismo que ainda não consegui sair.  “Hoje meu coração está forte. Sigo a forma do rio, procurando cores. Desde que eu seja discreto, ninguém dará muita atenção a um velho enchendo os bolsos com porcarias. Há pessoas na minha situação que ficam no mesmo lugar, que desenham uma linha invisível ao redor de si mesmas e não a ultrapassam, mas não sei onde você está, por isso, continuo me movendo”, p.26. Sabe quando você lê um livro, vira a última página e se sente morta? Ele é um drama, mas não foi o gênero que causou essa reação. Foi simplesmente o vazio. Estava esperando um desfecho muito mais empolgante, confortador e recebi apenas o nada.

Sinceramente não sei como classificar Dez coisas que aprendi sobre o amor.  É um livro bom? Sim... muito bom. Não conseguia parar de ler porque queria ver como o destino das personagens ira se cruzar, infelizmente esperei um desfecho muito melhor do que o encontrado. Foi como se estivesse em uma frequência e fosse jogada bruscamente para outra. “Ah? E ai... é isso? Terminou?” Não! Eu fiquei procurando mais páginas. Eu queria mais, precisava de um final realmente digno. As personagens têm fraquezas, elas são o ponto mais forte da trama, porque esta gira em trono disso. E no final o que se resolve? NADA?  “Dormi durante um tempo em Clapham Common, ao sul do Coreto. Eu gostava mesmo era das estrelas. Na maior parte do tempo não se consegue vê-las na cidade. Nunca aprendi as constelações. Ainda não sei seus nomes, mas posso distingui-las . Fiquei lá tempo o bastante para ver a Terra girar”, p. 129.

Dez coisas que aprendi sobre o amor foi que as pessoas são realmente burras. Para haver êxito é preciso equilíbrio entre razão e coração. O livro é narrado ora por Daniel e ora por Alice. Gostei muito mais dos capítulos que ele falava do que ela. Alice é superficial, perdida demais... Daniel dizia que o nome dela era frio, mostrava cores frias. Eu digo que não era somente o nome. Você vê o tempo passar e as personagens se arrastarem por um enredo fraco. Não tem nada de inovador na obra, não tem um ponto X. É como se elas caminhassem quilômetros por nada.

A autora apresenta um romance bobinho entre Alice e Kal. A personagem me irritou. Tão imatura... brigava com ele por questões que ela dizia não ter importância. Será que tinha ou realmente não? Tão complicado e evasivo. Ele é indiano. Quem conhece a cultura da Índia sabe como questões de relacionamentos com ocidentais se tornam complicadas para eles. É dolorido, mas é a cultura deles. Casamentos arrumados e o menor número de divórcios do mundo (Existe várias exceções, mas minha mente não está permitindo entrar nesse assunto agora, risos). Kal só queria ficar ao lado dela, sem complicações... ele só queria Alice. Que droga! Não sei o que realmente cada um queria porque a autora faz o favor de não deixar isso claro.

Estou com um nó na garganta. Parece que comecei a leitura e não terminei. Tudo muito dedutivo. Livro bem escrito, boa construção de personagens, mas com um final totalmente fraco e broxante. Aprendi apenas uma coisa sobre o amor: Ele é maravilhoso, mas como sempre o ser humano ferra com tudo. Alice? Você não quer o Kal? Eu quero! Mas ele não vai me querer. Ele ama essa otária! “A chuva começa a cair em gotas gordas. Os outros clientes se movimentam, como se surpresos, apesar de poderem ter sentido o cheiro da chuva se tivessem prestado atenção. Eu os vejo correr, resgatando bolos metade comido e bebidas, rindo. Fico no meu lugar, segurando a xícara.  Vejo a chuva escorrer pela superfície do que resta do meu chá. Vejo-a ensopar as migalhas de bolo. Fico sentado por muito tempo, me segurando, porque sei que, quando for embora, não haverá volta, por muito tempo; nunca”, p.203.
Design e Diagramação
A capa do livro é muito fofa. Já disse em diversas outras resenhas que amo capas azuis. Então, sou suspeita para falar, né? Qualquer dia desses faço uma postagem mostrando todos os livros de capas azuis que tenho. Só love.  Azul, Londres ao fundo, flores. Tem como não gostar? O miolo é impresso em papel pólen, agradável para leitura. As letras e espaçamentos apresentam-se de forma confortável para a visão. No começo de cada capítulo somos presenteados com uma lista de dez itens sobre diversos assuntos. Muito criativo da parte da autora. Não tenho nada que reclamar nesse quesito. Prefeito. 

Sobre a autora
Sarah Butler author

Sarah Butler vive em Manchester e dirige uma consultoria que desenvolve projetos de literatura e arte. Ensinou escrita criativa na British Council em Kuala Lampur. Dez Coisas que Aprendi Sobre o Amor é seu primeiro romance. Fonte: Editora Novo Conceito.

Licença Creative Commons
O trabalho O amor em listas de Paloma Viricio foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição - NãoComercial - SemDerivados 3.0 Brasil.
Obs.: Todos os textos produzidos neste blog são da minha autoria e estão registrados. Se utilizá-los, por favor lembre-se dos créditos.  



Encontre  Monólogo de Julieta  também no:
                                                     FacebookGoogle+TwitterInstagramYoutubePinterest 

9 comentários:

  1. Adorei a indicação, não conhecia o livro!
    Beijo

    Dicas para Todas

    ResponderExcluir
  2. Também achei a capa bem fofa <3 Logo me chamou atenção, já tenho o livro aqui ;)
    Bjs
    http://eternamente-princesa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi, Paloma, tudo bom? Eu tentei iniciar a leitura desse livro, mas confesso que fiquei confusa. Como estou lendo outros dois, acho que vou esperar mais um pouco para tentar novamente. Beijos.

    http://livro-apaixonado.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi Paloma!
    A capa deste livro é realmente linda e chama muito a atenção, mas que pena o livro ter deixado essa sensação! Sinceramente, fico curiosa e ao mesmo temo desanimada, para saber o final. Gostei muito da sua resenha, mas não sei se lerei por enquanto.
    beijos ♥
    nuclear--story.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Oii!|
    Te entendo completamente, tem livros que a história é maravilhosa desde o começo e termina com um "hã?" e tem outros que é totalmente ao contrário. Mesmo assim não tenho certeza se leria 10 Coisas que Aprendi Sobre o Amor '><
    Estante de uma Fangirl

    ResponderExcluir
  6. Eu ainda não iniciei a leitura desse livro, mas achei interessante a coisa de relacionamento pai-filha, amo livros com essa temática e é pouco explorada na literatura.

    Beijos, Vanessa
    (http://amamosaleitura.blogspot.com.br/)

    ResponderExcluir
  7. Oii,
    está tudo muito lindo em seu blog.
    Eu tinha visto sobre este livro, e estava com muita vontade de ler ele, mas depois de sua resenha fiquei um pouco com pé atras para isso. Não gosto de livros que chega no final que nos deixa com essa sensação. É muito ruim.
    Beijos

    @saymybook
    http://saymybook.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Eita eita..

    nem sei o que pensar então... estou louca para ler, mas agora vou ficar com os pés no chão... pela proposta e a prévia que eu li eu imaginava um drama ou algo tipo os livros que a Cecelia Ahern escreve.

    xoxo
    Mila F.
    @camila_marcia
    www.delivroemlivro.com.br

    ResponderExcluir
  9. Oiii, tudo bem??? A capa do livro é linda demais mesmo <3 Tenho vontade de ter na minha estante kkkkk e ler também :) Para falar a verdade, gosto muito de finais abertos, sem respostas e que deixam esse vazio. As vezes funciona. Não sei se eu sentiria isso por esse livro, mas .... E uma coisa que eu sei sobre o amor? É que ele é beeeem complicado as vezes :P
    E nem sempre é o bastante para unir duas pessoas :(
    Beijoooos
    http://profissao-escritor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.