Resenha- Fragmentados-Neal Shusterman

Fragmentados- Neal Shusterman editora novo conceito
Shusteman, Neal. Framentados/ Neat Shusterman; tradução Camila Fernandes. –Ribeirão Preto, SP: Novo Conceito Editora, 2015.
Em uma sociedade em que os jovens rejeitados são destinados a terem seus corpos reduzidos a pedaços, três fugitivos lutam contra o sistema que os fragmentaria. Unidos pelo acaso e pelo desespero, esses improváveis companheiros fazem uma alucinante viagem pelo país, conscientes de que suas vidas estão em jogo. Se conseguirem sobreviver até completarem 18 anos, estarão salvos. No entanto, quando cada parte de seus corpos desde as mãos até o coração é caçada por um mundo ensandecido, 18 anos parece muito, muito longe. O vencedor do Boston GLobe-Horn Book Award Neal Shusterman desafia as ideias dos leitores sobre a vida: não apenas sobre onde ela começa e termina, mas sobre o que realmente significa estar vivo.
Classificação:


Ficha Técnica
Autores: NEAL SHUSTERMAN
Título: Fragmentados
ISBN: 9788581635194
Selo: NOVO CONCEITO
Ano: 2015
Edição: 1
Número de páginas: 320
Formato/Acabamento: 16x23x2,3
Peso: 0.44 kg
Preço Sugerido: R$ 34.90
Área Principal: FICÇÃO
Assuntos: DISTOPIA
Comprar livro Fragmentados- Neal Shusterman
Book Trailer Fragmentadis- Neal Shusterman

Notas
Capa: 10/10
Conteúdo: 09/10
Diagramação: 10/10
Conceito Geral: 100/100

Desintegração
Por Paloma Viricio
Visão Geral
Em um mundo prefeito, tudo seria perto e branco, certo ou errado, e todos saberiam a diferença. Mas este não é um mundo perfeito. O problema são as pessoas que pensam que sim”, p.74. A lei é clara e não deixa lacunas. Se você foi escolhido para ser fragmentado, não tem para onde correr. Ninguém se dá realmente conta do que está por vir... até quando não há mais saída.

Lev é um dízimo. Quer dizer que a família dele o escolheu para ser fragmentado como uma oferta á Deus. Ele não pensa em fugir. Quer apenas cumprir sua missão. “Não sabe a quem culpar: o Pastor Dan, por libertá-lo? A si mesmo, por trair as únicas pessoas dispostas a ajudá-lo? Ou deveria culpar Deus por permitir que sua vida chegasse a este momento amargo? Você pode ser quem quiser agora, o Pastor Dan havia dito. Mas, neste momento, Lev sente que não é ninguém”, p.89. Connor é um menino de temperamento difícil, desprovido de boas notas no colégio e danado para arrumar uma briga. Um problema para os pais. Tão grande, que eles preferiram se livrar da melhor maneira que puderam. O documento de fragmentação poderia ser um peso para eles, mas as passagens que dão direito a uma bela viagem têm o dever de fazer os mesmos esquecerem qualquer culpa. Risa é uma jovem órfã que encanta qualquer pessoa através das melodias que reproduz com o piano. Só que para o governo uma musicista não possui nenhuma serventia. É hora de cortar gastos. É hora de fragmentá-la. Três jovens com vidas totalmente diferente se vêm unidos por uma suplica em comum quando seus destinos se cruzam e eles não possuem o menor valor para a sociedade.

Fragmentados é um livro forte, perturbador, inquietante. Eu adorei conhecer a escrita de Shusterman. Adoro distopias, não é segredo para ninguém. Mas essa obra passou bem longe daquilo que eu imaginava. Mostrou algo totalmente diferente do que esperava encontrar. O resultado foi o melhor possível porque gostei muito da forma como a trama foi se desenvolvendo.  “(...) essas cenas ficarão com Lev pelo resto da vida. Ele sabe que foi alterado por esse momento, transformado de maneira profunda e assustadora. Aonde quer que sua jornada o leve agora, não importa, em seu coração ele já chegou lá. Ele se tornou como a maleta no chão- cheio de joias, mas vazio de luz, de forma que nada brilham, nada cintila”, p.182. Existem três personagens principais, mas todos os outros que vão aparecendo durante a leitura não deixam de ser importantes. Esse é um ponto forte, já que, odeio tramas entulhadas de personagens que no final das contas não servem para nada. 

A obra é de ficção, mas aborda vários assuntos polêmicos como aborto, doação de órgãos, guerra e acima de tudo a ganância do ser humano. Desde o começo o leitor fica com a expectativa da fragmentação na cabeça, até o momento que ela realmente acontece. Sinceramente, a descrição de todo o processo foi pesada, sufocante, fiquei com um nó na garganta. O que foi bom, porque esse era realmente o objetivo do livro: uma cena crua e mais próxima possível do real. Adrenalina pura. “Sobre a existência da alma, quer fragmentada ou nascitura, as pessoas podem debater por horas a fio, mas ninguém questiona se uma instituição de fragmentação possui alma. Não possui. Talvez por isso aqueles que construíram essas imensas usinas médicas se empenhem tanto em torná-las confortáveis para as crianças e amigáveis para os usuários, de diversas formas”, p. 250.

O único ponto negativo que encontrei foi que o começo do livro parece um pouco infanto-juvenil demais. Sei lá... eu achei. Mas nada que faça o leitor se revoltar, fechar a obra e nunca mais querer abrir(Risos). Fragmentados é bom, muito bom e fiquei satisfeita com a trama e principalmente com o final. Uma característica muito interessante é que ninguém é totalmente vilão ou mocinho. E até mesmo os vilões têm seus sentimentos expressados. Dá para sentir na pele o que cada personagem está passado. O autor promove uma mistura de sentimentos e um jogo inebriante com a mente do leitor.  Sensacional. Com certeza indico.

Design e diagramação
A capa transmite exatamente aquilo que a história passa. É algo sufocante, forte que vai se perdendo aos poucos, assim como um fragmentado. A Editora Novo Conceito está de parabéns. As letras e espaçamento possuem tamanhos confortáveis para a leitura. O miolo é impresso em papel pólen. Eu adoro esse padrão que a editora usa nos livros porque a leitura se torna bastante agradável.
Sobre o autor
Neal Shusterman author

Já escreveu mais de 30 livros premiados para jovens e adultos, incluindo Full Tilt, a Trilogia Skinkacker, Unwholly, Bruiser e The Schwa Was Here, que recebeu o Boston Globe-Horn Award como melhor livro de ficção. Ele também escreve roteiros para o cinema e a televisão, como Animorphs e Goosebumps. Pai de quatro filhos, Neal vive no sul da Califórnia. Saiba mais sobre o autor em storyman.com . Fonte: Editora Novo Conceito.


Licença Creative Commons
O trabalho Desintegração dPaloma Viricio foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição - NãoComercial - SemDerivados 3.0 Brasil.
Obs.: Todos os textos produzidos neste blog são da minha autoria e estão registrados. Se utilizá-los, por favor lembre-se dos créditos.  



Encontre  Monólogo de Julieta  também no:
                                                     FacebookGoogle+TwitterInstagramYoutubePinterest  

12 comentários:

  1. Oi, Paloma! Tudo bem? "Fragmentados" é um livro que eu venho querendo muito ler. Sempre leio resenhas positivas para ele e a premissa da obra é ótima. Adorei a resenha! :)

    Abraço

    http://tonylucasblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Não conhecia esse livro,
    mas gostei e achei interessante!
    Obrigada pela dica,amiga!
    Bjos
    http://www.elianedelacerda.com

    ResponderExcluir
  3. Oi
    O tema parece bem interessante e diferente, fiquei curiosa, vou colocar na minha lista de desejados ;)
    Parabéns pela resenha
    Beijinhos
    Renata
    Escuta Essa

    ResponderExcluir
  4. Parabéns pela resenha Paloma! Já li Fragmentados e curti bastante. Beijo!

    www.newsnessa.com

    ResponderExcluir
  5. Oi Paloma, tudo bem?

    Eu já li outras resenhas a respeito desse livro, mas a sua resenha deixa uma vontade de querer comprar o livro e conhecer a história completa. Principalmente porque você citou que é a trama aborda assuntos polêmicos e isso deixa minha curiosidade ainda maior.

    Bjos

    http://historiasexistemparaseremcontadas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Mesmo o meu estilo! Tenho que ler.
    Obrigada pela excelente sugestão!

    Beijinhos ♥
    http://lovingmypinkbubble.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  7. Eu já vi várias resenhas de Fragmentados e já estou com o ebook prontinho pra ler só preciso arranjar um pouco mais de tempo. Assisti o trailer e nossa nunca me senti tão agoniada na minha vida.
    Gosto de livros assim sem vilão ou mocinho, porque sinceramente? Todo mundo tem um motivo pra fazer o que faz, seja bom ou mal, até o Coringa do Batman tinha. E, por isso detesto tanto novelas.
    Gostei muito da resenha, mas estou meio que com medo de ler esse livro, tenho medo do que pode acontecer no final, haha.
    Estante de uma Fangirl

    ResponderExcluir
  8. Oiii!

    Paloma, estou lendo diversas resenhas para essa obra mas ainda não tive a oportunidade de ler esse livro ainda. Acho que não vi nenhuma resenha negativa <3
    Mesmo com esse inicio ruinzinho (oque é chato pq pode dar uma impressão errada ao restante) eu leria com certeza!


    Beijinhos,
    www.entrechocolatesemusicas.com

    ResponderExcluir
  9. Vejo todo mundo falando bem desse livro, amo distopias e sou louca para ler!

    Adorei a resenha, beijos,

    http://sweetlikecaramel.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Esse livro parece super bacana, ele tem uma temática que chama a atenção e nos convida a pensar em como lidar com nossa própria mortalidade, já vi isso em outras obras, mas essa acho que foi a mais chocante, quero muito ler.

    Obrigado pela visita la no blog, você é uma fofa e seu blog também muito bonito ^^

    www.poyozodance.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. Assumo que não muito meu tipo de leitura, mas fiquei super intrigada com a resenha.

    Beijos
    http://pimentasdeacucar.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.