Resenha- Legado de Sangue- Raquel Pagno

Legado de Sangue - Carmem sempre ouvira as tristes histórias de Francesca. Adorava cada frase saída da boca enrugada da avó, mas sentia que a verdade estava escondida nas linhas de seu rosto, presa em um coração saturado de sofrimentos. Foi em uma noite de lua cheia que ela finalmente lhe contara a verdade: seu antepassado era um vampiro, Carmem era a herdeira do Rubi de Sangue e do poderoso sangue das bruxas, o único alimento capaz de saciá-lo completamente, e que ao mesmo tempo era para ele mais letal do que qualquer veneno; e era a única capaz de gerar um filho para salvá-lo da extinção. Apaixonada, Carmem segue o seu caminho rumo ao destino que a aguarda. Miguel deseja o seu sangue, e ela, a imortalidade dele.
Classificação:
Ficha Ténica

Título:Legado de Sangue
Autor:Raquel Pagno
Ano: 2013
Páginas: 373
Idioma: português 
Editora: Amazon

Legado de Sangue
Por Carol Cadiz
Ao olhar o título e a capa já podemos imaginar de qual criatura sobrenatural estamos falando. O início do livro conta com uma avó com o passado turbulento e netas curiosas sobre esse passado e uma mãe querendo proteger suas filhas do desconhecido. Até que uma noite a avó Francesca despeja toda a história de sua vida sobre as netas de 16 e 14 anos. 

Esse não é o primeiro livro da autora que eu tive a oportunidade de ler. E o que notei na escrita de Pagno é a forma na qual ela trabalha muito bem o que sentimos ao decorrer da história, ela consegue nos passar o mesmo sentimento dos personagens. Pelo menos pra mim, esse trabalho das emoções à flor da pele foi muito grande. Eu consegui sentir todo o medo e toda a curiosidade da personagem, da mesma forma ou até mais. 

Pontos negativos: o início do livro é muito confuso. Eu tive que reler as 13 primeiras páginas, quando a primeira parte do livro acabou. Isso também é uma característica da autora pelo que percebi dividir o livro em partes. Seablue que foi o primeiro livro que li da Raquel foi dividido perfeitamente em três partes. 

E quem leu a minha resenha de Seablue viu que reclamei o fato de a autora não revelar a idade dos personagens, aqui ao mesmo tempo, é a mesma reclamação não é, e o seguinte, ela até coloca algumas idades, mas na primeira parte a única noção de tempo e quando fala lá para o final deste pedaço a idade de Teresa. No demais perdemos toda a noção de tempo em que ocorre às ações. Me senti perdida no calendário como a personagem que não vê o tempo passar. (Se essa era a intenção da Raquel, ponto para ela). No final da primeira parte até entendo esse motivo de “perdida no calendário”. Mas me incomodou. 

Fora isso a primeira parte está muito rica em detalhes e sentimentos. Agora na segunda parte, o tempo foi mais controlado e até certo ponto a história ia de vento em polpa. Até estarmos nos encaminhando para o final. Ao total o livro tem 435 páginas que eu acho que poderia ser dividido em dois livros. Quando o terceiro elemento importante da história aparece eu senti falta de ser trabalhado melhor, a impressão que eu tive é a de que ela tinha um prazo para fechar e terminou logo. 

Esse terceiro elemento podia dar uma boa continuidade em um segundo livro, abriu para autora a possibilidade de fazer uma duologia que com toda a certeza deixaria o livro mais leve. Isso contando o gênero acho que a segunda parte deixou muitas portas abertas, com informações muito boas, que seriam interessante serem fechadas. O livro ficou sobrecarregado. 

Mas nem tudo é ruim. Com tudo o que falei é o que parece, né?  A história é realmente muito boa o contexto geral da ideia é ótimo. Como eu disse eu mudaria dois pontos que complementaria esse contexto, não tiro nada. 

Fiquei muito impressionada com a capacidade da Raquel de tratar coisas “comuns” que fazem parte do nosso mundo, em elementos sombrios. E como já falei, a capacidade de aflorar todos os sentimentos dos leitores. Só por isso já vale muito você experimentar a sensação de ler um livro não como o personagem, mas como espectador ao vivo de tudo. Até hoje se li cinco livros com esse poder, foi muito. Essa forma de escrita me encanta de um jeito todo especial.

Postagem feita por:
Carol Cadiz,19 anos, estudante de jornalismo, conselheira,amiga,ama musica, dedicada, sonhadora, determinada, leitora compulsiva... Feliz! simples assim. "Me provoque, me desafie, me tire do sério, Me tire do tédio, vire meu mundo do avesso..." - Clarice Lispector. Normalidade? já nem sei o que é.


Encontre  Monólogo de Julieta  também no:
                                                     FacebookGoogle+TwitterInstagramYoutubePinterest 

11 comentários:

  1. OI Carol!
    Eu quero esse livro!
    Amei a sua resenha, como sempre, você escreve muito bem.
    Beijokas!
    http://viciadaporlivro.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parece ser realmente um livro maravilhoso. A Carolzinha escreve mesmo, é uma das minhas melhores colunistas!
      Beijos!

      Excluir
  2. Oi Carol
    Que nome chamativo esse do livro. Gostei muito
    Odeio começos confusos porque sempre perco tempo tentando entender. Mas, gostei muito da premissa do livro.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente é muito chamativo. E a capa também, né? kkkk Eu também odeio, isso me incomoda. Acho que livro deve nos pegar logo no começo.
      Beijos!

      Excluir
  3. Respostas
    1. Por nada! Continue fazemos livros maravilhosos como esse.
      Beijão!

      Excluir
  4. Tem tanto livro de vampiros por aí que a gente tem que só escolher os melhores, né?
    Achei a ideia do livro interessante, mas com os pontos negativos que você falou, não me interessou tanto assim.
    Geralmente os autores dividem livros que não precisam. Nesse caso foi o contrário. Difícil encontrar isso, hehe.

    Beijooooos

    www.casosacasoselivros.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkk Nem me diga. Devemos ser realmente seletivas. Não é para ir se iludindo assim tão fácil com livrinhos meia boca. kkkk Concordo. A autora acertou, né?
      Beijos!

      Excluir
  5. Faz algum tempo que não procuro histórias de vampiros, simplesmente a única história que gostei foi Drácula. Mas faz algum tempo que tenho procurado outros temas e quem sabe eu volte para esse, gostei da resenha, bem explicada, separou os pontos positivos e negativos.

    Beijos, Vanessa
    (http://amamosaleitura.blogspot.com.br/)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também, mas existem outras muito boas. Eu comprei o livro do Drácula. Tenho uma versão muito linda de capa dura, mas ainda não li. Quero muito! Concordo... o livro parece ser interessante!
      Beijos!

      Excluir

Tecnologia do Blogger.