Resenha- A Rainha Vermelha- Victoria Aveyard

Aveyard, Victoria. A rainha vermelha/ Victoria Aveyard; tradução Cristian Clemente. – 1ª Ed. – São Paulo: Seguinte, 2015.
O mundo de Mare Barrow é dividido pelo sangue: vermelho ou prateado. Mare e sua família são vermelhos: plebeus, humildes, destinados a servir uma elite prateada cujos poderes sobrenaturais os tornam quase deuses.  Mare rouba o que pode para ajudar sua família a sobreviver e não tem esperanças de escapar do vilarejo miserável onde mora. Entretanto, numa reviravolta do destino, ela consegue um emprego no palácio real, onde, em frente ao rei e a toda a nobreza, descobre que tem um poder misterioso Mas como isso seria possível, se seu sangue é vermelho? Em meio às intrigas dos nobres prateados, as ações da garota vão desencadear uma dança violenta e fatal, que colocará príncipe contra príncipe - e Mare contra seu próprio coração.

Classificação:


Ficha Técnica
ISBN-10: 8565765695
Ano: 2015
Páginas: 422
Idioma: português 
Editora: Seguinte

Notas
Capa: 10/10
Conteúdo: 09/10
Diagramação: 10/10
Conceito Geral: 95/100

Vermelhos e Prateados
Por Paloma Viricio
O mundo é prateado, mas também cinza. Não existem o preto e o branco”, p. 235. A disputa para a sobrevivência é regada por uma divisão cruel e sanguinária. Não existe o bem ou o mal. Ganha quem possuir o poder.

A Rainha Vermelha é a primeira obra que leio de Victoria Aveyard. A trama desenvolvida pela autora viraria facilmente, um filme de grandes proporções. Os leitores inseridos no ambiente alimentado por vermelhos e prateados são levados para um universo completamente diferente do real. Um mundo de ganância, poder, morte e dor.  Não é possível um meio termo. Ou você torce para vermelhos ou prateados. Ficar em cima do muro é assumir um punhal nas costas. Agora imagine uma menina jovem, que viveu toda existência em um dos extremos, ser obrigada a conviver com outro de uma hora para outra. Ou ela assume a nova personalidade que prepararam para ela, ou é dizimada em conjunto com todos aqueles que ama de verdade. “As árvores são estranhas: altíssimas, com casca negra e folhas vermelhas e escuras. Um silêncio mortal, que nenhuma floresta deveria ter predomina. Não há canto de pássaros, e o céu escurece adiante, mas não por causa do pôr do sol. Nuvens negras se amontoam sobre as árvores e pairam como um cobertor  grosso”, p. 311.

Um dos meus gêneros favoritos é distopia. Por ai, você já imagina como minha mente leitora ficou fascinada com A Rainha Vermelha. Gostei principalmente porque Aveyard criou uma trama completamente nova e fascinante. Nunca tinha lido nada parecido com o que foi apresentado nesse livro. Quer dizer... todo aquele começo junto com a realeza, as competições para a escolha de uma esposa para o futuro rei, me fizeram recordar um pouco da trilogia A seleção, de Kiera Cass, mesmo sendo distopias completamente diferentes. Até mesmo Mare me lembrou em muitas atitudes, e com seu próprio jeito, América Singer. Entretanto, devo confessar que Mare, me agrada muito mais. Ela é rebelde, destemida, não abaixa a cabeça para ninguém. Isso a coloca diversas vezes, em uma enrascada maior que a outra. É isso que dá gás para a história. É isso que faz um personagem se tornar especial. Faz seu sangue correr nas veias.

Sobre Cal... aquele rostinho bonito, valente e perfeito não me convenceu em nada. Eu sabia que em algum momento do livro iria me decepcionar. E decepcionou feio. Não sei, mas minhas suspeitas me fazem perceber que ele não é daquelas personagens ruins em essência. Acredito que muitas besteiras que o mesmo faz é por pura falta de consciência de que existem outras pessoas fora do mundinho dele que não aguentam mais ser oprimida por um reizinho de m*&%$#.  É... sei que o instinto dele de guerra fala mais alto do que os próprios sentimentos. “O sangue dele pode ser prateado, mas seu coração é negro como pele queimada. Quando seus olhos procuram os meus, faço questão de virar o rosto. Em vez de me deixar enganar por sua ternura, por sua estranha bondade, me apego à lembrança do inferno. Cal é mais perigoso que todos os outros juntos. Não posso me esquecer disso”, p. 218.

Só tenho uma palavra para resumir o Rei: Um idiota! Como ele não conseguia ver tudo aquilo que estava acontecendo ao redor dele? Que raiva...tem gente que nasce para ser fantoche! Por incrível que pareça, mesmo sabendo que a Rainha é uma cobra, não consegui sentir asco por ela um só minuto. Ela é como uma onça, pronta para defender seus próprios interesses, uma daquelas pessoas que age por instinto.

Maven! O que posso falar desse personagem que se tornou o meu preferido? Não sei...acho que ele tem tudo na medida certa. Até os defeitos, sabe? Para tudo! Não posso me apaixonar. (Brincadeirinha, rs) Um dos personagens que, ao meu ponto de vista, a autora fazia de tudo para ‘incriminar’, mas que não deixou a desejar em nenhum momento. Ele é como se fosse um espelho da mãe na questão força e inteligência, mas que age para o lado oposto dela. O bem.  “Maven  me deixa divagar. Seu olhos pensativos observam as emoções que se manifestam no meu rosto. Ele sempre me deixa com meus pensamentos. Ás vezes, seu silêncio é melhor que as palavras de qualquer pessoa”, p.297.

Fiquei muito fula da vida com a Mare por várias coisas que ela fez com o Maven, até mesmo uns pensamentos que ela tinha sobre ele. Mas sei lá, personagens humanos são tão reais, cheios de defeitos que cometem várias cagadas. Isso é a vida... fato! Mas sabe o que é mais interessante em todo o livros? Ninguém é completamente bom ou mau. Todos possuem os dois lados... ou apenas o verdadeiro poder.  Muito bom! Indico com toda certeza. Estou ansiosa para ler a continuação. 

Design e diagramação

A capa desse livro é sinônimo da realeza. Ôh coisa bonita, sô! Toda revestida em o que imagino ser Hot Stamp na cor prateada. Uma coisa fina que só. O miolo é impresso em papel pólen, a diagramação interna é singela, mas não deixa de ser excelente. A letra não é tão grande, mas os espaçamentos certinhos e o papel já auxiliam na leitura. Além disso, essa edição tem algo que amo... a brochura é composta por orelhas espaçosas que dão um ar bem legal ao acabamento do livro. Sobre a revisão, não tenho nada do que reclamar, os três revisores fizeram um excelente trabalho juntos. 



Sobre a autora

Cresceu em Massachusetts e frequentou a Universidade do Sul da Califórnia, em Los Angeles. Formou-se como roteirista e tenta combinar seu amor por história, explosões e heroínas fortes na sua escrita. Seus hobbies incluem a tarefa impossível de prever o que vai acontecer em As Crônicas de Gelo e Fogo, viajar e assistir a Netflix. Fonte: Skoob.

Licença Creative Commons
O trabalho Vermelhos e prateados dPaloma Viricio foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição - NãoComercial - SemDerivados 3.0 Brasil.
Obs.: Todos os textos produzidos neste blog são da minha autoria e estão registrados. Se utilizá-los, por favor lembre-se dos créditos.  

27 comentários:

  1. Amiga,
    achei o livro super interessante e a autora muito bonita!
    Não existe o preto e branco mesmo,
    colocamos as cores ue desejamos em nossas vidas!
    Bjos
    http://www.elianedelacerda.com

    ResponderExcluir
  2. Oi, Paloma!
    Eu até gostei desse livro, mas abandonei a continuação... tristeza na minha vida viu?
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe da promoção de aniversário do blog Crônica sem Eira

    ResponderExcluir
  3. Tenho lido muitas coisas positivas sobre essa obra e acho o enredo muito interessante! Adoraria conhecer melhor essa história! <3
    Mil Beijos!
    http://pensamentosdeumageminiana.blogspot.com.br/2016/06/resenha-do-filme-como-eu-era-antes-de.html

    ResponderExcluir
  4. adorei a resenha, bjs : )
    http://lanibelezafeminina.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Adoro distopias, mas vi tantos comentários negativos a respeito desse livro que fiquei com receio de ler :( com a sua resenha a animação pra ler voltou, vamos ver se arranjo um tempinho pra leitura. Ótima resenha!

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. uau, já pela capa super me chamou a atenção! e amo histórias de reinados, poder, deve ser msm um ótimo livro

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
  7. Nossa fiquei louca para ler esse livro, parece ótimo e uma boa leitura. Vou procurar ele para mim.

    Beijos
    https://pimentasdeacucar.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Amei a resenha, esse livro é maravilhoso <3

    http://o-hyeah.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oi, Paloma, tudo bem?

    Que bom que pra você foi uma boa leitura. Infelizmente pra mim, A Rainha Vermelha foi uma grande decepção. Eu estava de olho nele desde que ele nem sonha em ser publicado aqui, mas eis que leio e vejo uma cópia de diversas histórias. Ao contrário de você, não consegui encontrar identidade na história, uma pena.
    Você não confundiu os nomes na resenha não? Não posso falar aqui pq seria spoiler, mas acho que as características de Maven e Cal estão trocadas! hahahaha

    Beijo
    - Tamires
    Blog Meu Epílogo | Instagram | Facebook

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que pena! O livro me fez lembrar somente de A seleção, mas gostei muito. Deve ser porque não leio muitos livros de reinados e afins que não o identifiquei com mais nenhum. Acho que nenhum livro é cópia de outro, pode ter algumas coisas parecidas. kkk Enfim... eu não confundi, não. Eu realmente achei isso de cada um. Apesar que a maioria das pessoas acha o contrário sobre cada um. Eu realmente amei o Maven... apesar do que aconteceu (também não vou dar spoiler, mas você vai entender). Enfim, o Cal para 'euzinha' é um falso. Acho que a autora fez aquilo tudo propositalmente para causar nos leitores uma 'raivinha' do Maven. Só que eu senti essa raiviha o livro todo , mas pelo Cal. kkkkkkkkkk
      É o livro causa diversas opiniões nas pessoas, mesmo sendo uma obra única lida por muitas mentes diferentes.
      Obrigada pela comentário sincero.
      Beijinhos!

      Excluir
  10. Primeiramente devo comentar sobre a capa também... maravilhosa! Gostei muito da resenha, acho que o livro deve ser muito bom. Tenha um dia abençoado, beijos!

    Blog Paisagem de Janela
    paisagemdejanela.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. Me intrigou!

    E como a autora é novinha, né?

    beijos!

    ResponderExcluir
  12. Pra mim não foi pena não! hahaha! O cheiro é horrível.

    Não conhecia esse livro. Achei interessante! Gosto de histórias com intrigas! =P

    Ótima quinta!

    Beijo! ^^

    ResponderExcluir
  13. Adorei esse livro, confesso que quando li o título, achei que fosse algum tipo de história de terror... haha
    Mas gostei da sua opinião sobre ele, me fez lembrar um pouco daquele livro "A Seleção", por se tratar de palácio, romance mais clássico e chique. ^^
    E a autora é linda e bem jovem, gostei.
    Beijos. ♥

    Diário da Lady

    ResponderExcluir
  14. Estou lendo no momento e amando!!! Já posso dizer que vou me apaixonar pelo Maven também hahaha

    Beijos ♥

    Jéssica || Fashion Jacket
    www.fashionjacket.com.br

    ResponderExcluir
  15. Oii, não tenho muita vontade de ler mas as resenhas sempre me deixam curiosas!
    Beijos,
    Natália.

    www.doprefacioaoepilogo.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  16. Jurei que era a Rainha Vermelha da história da Alice no País das Maravilhas, ilusão a minha. Eu adoro ela, deve ser por isso. Tuas resenhas são lindas e envolventes, o livro pode ter duas estrelas que mesmo assim sinto vontade de ler.

    Beijos
    Mundo de Nati

    ResponderExcluir
  17. Oi, Paloma! Tudo bem? Nunca tive interesse de ler esse livro, mas adorei sua resenha! <3

    Abraço

    https://tonylucasblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  18. Olá,
    Ainda não li esse livro, mas tenho muita vontade. Quase comprei na Bienal, mas achei meio carinho. Preciso conhecer essas distopias, essa parece ser bacana.

    até mais :*
    Nana - Obsession Valley

    ResponderExcluir
  19. que interessante! Eu já tinha lido outra resenha que também elogiou muito esse livro, acho que comprarei *-*

    http://bruna-morgan.blogspot.com

    ResponderExcluir
  20. Oi Paloma, tudo bem?
    Adorei o post. Estou louca pra ler esse livro!
    A capa é incrível mesmo, cada detalhe é lindo.
    Beijos,

    Priscilla
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
  21. Oi Paloma,
    Como sempre amo suas resenhas, eu vi ele na Bienal mas não comprei comprei, preciso ler esse livro agora que li sua resenha.
    Bjs❤
    Abrir Janela

    ResponderExcluir
  22. Um adorei, fiquei imaginando tudinho e daria um bom filme isso sim !! Tbm curto muito distopia!
    Gostei da capa e a autora além de inteligente e bonito, é isso aí.

    ResponderExcluir
  23. Oi oi,

    eu também amo distopias e sou louca para ler esse livro. Além da capa maravilhosa, a história parece ser bem legal. Fico bem feliz em saber que o livro traz uma trama única fascinante e personagens apaixonantes! Ótima resenha viu, parabéns!

    Beijos!
    Visite o Mademoiselle Loves Books
    http://www.mademoisellelovesbooks.com/

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.